Você tem medo do que?

Você tem medo do que?

Atualizado: Terça-feira, 23 Agosto de 2011 as 2:38

Esses dias, o pastor da minha escola foi dar uma aula na minha sala, pois a professora que deveria estar lá havia faltado. Ele resolveu fazer esta pergunta: "Do que mais você tem medo?", cada um respondeu uma coisa, teve gente que falou de animais, de situações, enfim, várias coisas.

Lembrei até daquela música da Chapeuzinho Vermelho: "Quem tem medo do lobo mau, lobo mau, lobo mau."

Comecei a fazer uma lista na minha cabeça de todas as coisas que tenho medo, a lista foi aumentando e aumentando, e dali um tempo já havia perdido a conta de quantas coisas listei. Vi que muitos de nós somos extremamente medrosos. Na verdade, penso que todos somos medrosos, mas nós temos tanto receio de mostrar esses medos, essa fragilidade que é tão natural, que acabamos nos fazendo de corajosos. Aposto que todo mundo tem medo de pelo menos alguma coisa.

E quando a música da Chapeuzinho veio em mente, pensei em todos os contos de fadas, com bruxas e lobos e dragões e monstros, sempre tem um vilão querendo botar medo em todo mundo, assim como sempre tem o herói que chega salvando todo mundo.

Além da pergunta, o pastor contou sobre o gato da mãe dele, que em dias de trovão se esconde embaixo da cama, morrendo de medo, procurando por um abrigo, um lugar seguro.

Enfim, o pastor leu o Salmo 91, foi aí que achei o herói e o abrigo. É aqui que termino este texto: "Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará. Direi do SENHOR: Ele é o meu Deus, o meu refúgio, a minha fortaleza, e nele confiarei. Porque ele te livrará do laço do passarinheiro, e da peste perniciosa. Ele te cobrirá com as suas penas, e debaixo das suas asas te confiarás; a sua verdade será o teu escudo e broquel. Não terás medo do terror de noite nem da seta que voa de dia, nem da peste que anda na escuridão, nem da mortandade que assola ao meio-dia. Mil cairão ao teu lado, e dez mil à tua direita, mas não chegará a ti. [...] Porque tu, ó SENHOR, és o meu refúgio. No Altíssimo fizeste a tua habitação. Nenhum mal te sucederá, nem praga alguma chegará à tua tenda. Porque aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos. Eles te sustentarão nas suas mãos, para que não tropeces com o teu pé em pedra. [...] Porquanto tão encarecidamente me amou, também eu o livrarei; pô-lo-ei em retiro alto, porque conheceu o meu nome. Ele me invocará, e eu lhe responderei; estarei com ele na angústia; dela o retirarei, e o glorificarei. Fartá-lo-ei com longura de dias, e lhe mostrarei a minha salvação."

Por: Mariana Longo Mendes

veja também