Voltando para a academia

Voltando para a academia

Atualizado: Sexta-feira, 6 Maio de 2011 as 10:04

Nesta semana, eu voltei à academia para fazer musculação juntamente com alguns amigos. Já ouvi as brincadeiras do tipo: "você voltou a malhar né?". Quando respondo que sim, um pouco empolgado pensando que já notaram a diferença nos meus músculos, ouço: "estava precisando".

Mas, não é sobre isso que desejo escrever. Foram as dores que senti no outro dia que me levaram a algumas reflexões.

Já havia malhado há alguns anos atrás. Porém, o tempo que fiquei parado deixou os meus músculos sem o costume de serem tão exigidos. O que aprendi com isto? Todo começo, ou retorno, para se exercitar requer sacrifícios.

Eu quero manter a saúde e ficar mais forte fisicamente, pelo menos na aparência. Mas, isso requer de mim os exercícios apropriados, as repetições e, até mesmo, ter que sentir estas dores no início. Todo começo requer muito esforço e perseverança, é por isso que não devemos desprezá-lo.

O apóstolo Paulo falou que o exercício físico tem o seu proveito, mas não se compara a necessidade que temos de nos exercitarmos na piedade (I Tm. 4.7-8). Essa palavra, na Bíblia, ao contrário do dicionário, não significa "pena" e "dó". Em inglês, por exemplo, ela é : "godliness", que seria possivelmente traduzido como : "deusamente", "jeito de Deus".

Segundo o pastor Hagin Jr., no seu livro: "Depois da fé, vem o quê?", piedade significa: "conformar de forma progressiva nossa mente e vontade com a mente e vontade de Deus. Ter um caráter como o dEle. É simplesmente, ser semelhante a Deus".

O exercício espiritual é semelhante ao exercício físico. Por isso, utilizarei a musculação como exemplo: você não começa levantando pesos enormes, não é verdade? Começamos de leve, e  com o passar do tempo, conseguimos nos exercitar a tal ponto que os nossos músculos suportam levantar um peso maior. Da mesma forma, é na vida espiritual. Pode ser que uma determinada circunstância, hoje, seja um peso enorme que você não consiga ficar tão firme enquanto passa por ela.

Um exemplo prático seria este: possa ser que você discuta facilmente com seu irmão. Qualquer coisa que ele diga ou faça lhe irrite rapidamente a ponto de você não se dominar e acabar discutindo com ele. Mas, se você decidir ler e meditar na Palavra de Deus sobre manter a paz, domínio próprio, suportar uns aos outros em amor, vencer o mal com o bem, ser tardio para se irar e falar, mas pronto para ouvir, então estará se exercitando.

No início, você precisará colocar muita força, vai precisar de um esforço grande para ficar calado, ceder e não agir segundo a carne. Pode até doer, mas valerá a pena. Se você manter a paz, faz um bom exercício e estará mais forte espiritualmente. Você age em piedade. Com o crescimento, aquilo que parecia ser tão pesado, ou difícil de praticar, se tornará fácil e leve.

Vale a pena se exercitar e ficar mais forte espiritualmente!

Então, caso tenha deixado de se exercitar na piedade, não se esforçando para ser hoje melhor do que ontem e amanhã melhor do que hoje, tenho um conselho: "lembre-se de onde caiu e volte a prática das boas obras" (Ap. 2.4). Volte a academia do Espírito Santo, exercite-se lendo, estudando e meditando na Palavra de Deus. Lembre-se: precisamos repetir os movimentos. Isto é exatamente o meditar. Busquemos na Palavra os ensinamentos nas áreas que ainda não estamos desenvolvidos e fortes. Façamos as séries de repetições, confessando, meditando e renovando a sua mente. Fique fervoroso de espírito, pois músculos quentes são músculos em exercício.

Qual o alongamento? A oração. Jovens que oram e se exercitam na Palavra, são jovens vencedores.

Fico por aqui neste mês. Espero que você não perca mais tempo, saiba que nunca será tarde para retornar ao exercício da piedade e viver agradando a Deus. No início, poderá ser doloroso e você verá que não conseguirá levantar os mesmos pesos que levantava antes de esfriar. Mas, persevere! É o que farei indo malhar daqui à pouco.

Por Perilo Borba - professor do Rhema Brasil, jornalista e autor de livros voltados para jovens e adolescentes

veja também