O conto do vigário

O conto do vigário

Fonte: Atualizado: sábado, 29 de março de 2014 03:32

Coluna - Pr. Anésio Rodrigues

O conto do vigário

Todo mundo entende hoje esta expressão. Cair no "conto do vigário" significa ser trapaceado, ter acreditado em algo que era falso. Mas qual teria sido o primeiro "conto do vigário" que originou tal expressão?

De acordo com Almanaque Globo Rural, é a seguinte:

O português Antônio Teodoro desembarcou no Rio de Janeiro, em 1814, elegantemente vestido, com uma fala macia e maneiras educadas. Dizia-se herdeiro de um tio, vigário, que acabara de falecer. Aos novos amigos cariocas contou que teve de abandonar Portugal, pois estava sendo perseguido por parentes despeitados e gananciosos, excluídos do testamento. Um procurador cuidava dos problemas legais e em breve, jurava ele, uma imensa fortuna lhe chegaria às mãos.

Meses se passaram e nada de o dinheiro chegar. Antônio dizia aos amigos que a demora estava lhe causando dificuldades. Diversas famílias se ofereceram para ajudá-lo, adiantando-lhe dinheiro. Depois de um ano, com Antônio vivendo, e bem, à custa dos amigos, eles resolveram investigar e descobriram que Antônio Teodoro era um conhecido trapaceiro em Lisboa. Ele foi preso, mas o golpe que aplicou chegou até nossos dias com o nome que ganhou na época: conto do vigário.

Já de acordo com a pesquisadora brasileira Lourdes Aurora, na verdade a expressão inicial era cair na "conta do vigário", pois esses recebiam ouro roubado e pagavam pouco aos escravos. Várias igrejas foram construídas segundo Lourdes, pela "conta do vigário". Daí que veio a palavra "vigarista", pessoa que agia como os tais vigários.

Hoje, há tantos que caem nos modernos "contos do vigário", que sempre também tem a ver com "contas do vigário". Incautos, caem nas correntes, na "promoções", nas histórias de gente que diz que dorme nas ruas, que a filhinha está no hospital. Sem contar os inúmeros e-mails recebidos pela internet pedindo para você mandar para todos de sua lista, ou apagar determinado arquivo em seu computador (jdbgmgr.exe) dizendo ser um vírus. Quanta gente não busca a verdade e acredita no primeiro conto que lhe contam!

O grande conto do vigário recentemente colocado em nossa mídia é o filme/livro O Código Da Vinci. E tem gente que ainda credita que tudo o que está ali é verdade!

A falta de leitura e pesquisa, a preguiça de buscar informações, faz com que muita gente caia em tantos contos por aí.

Quanto a isto, o profeta diz: "O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento" (Oséias 4:6). "Conheçamos o Senhor; esforcemo-nos por conhecê-lo" (Oséias 6:3) . E o Apóstolo nos orienta: "Quero conhecer Cristo, e o poder de sua ressurreição" (Filipenses 3:10).

Um grande abraço,

Anésio Rodrigues é pastor e presidente da Associação Cristã de Osasco - SP, uma entidade que visa atender pessoas carentes com escolas, e um Centro Social.

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições