Coluna - Cris Poli (Super Nanny) - Bom começo

Coluna - Cris Poli (Super Nanny) - Bom começo

Fonte: Atualizado: sábado, 29 de março de 2014 03:32

O objetivo desta primeira coluna é dar dicas de como começar bem uma família, até para evitar que vire um caos depois. Planejar tudo antes dos filhos nascerem e já iniciar uma educação correta desde pequeno. Nas próximas edições, falaremos de como resolver os problemas, enquanto isso anote as primeiras lições:

Após estes anos no Brasil, quais dicas daria para a formação de uma família?

A família é a base da sociedade, apesar de todos os esforços para destruí-la. Então, precisa se preparar para formar uma família. Como? Tendo certeza de que o casal está maduro para enfrentar esse desafio. Porque é um desafio conviver com outra pessoa, tendo como objetivo a formação de um relacionamento duradouro. É necessário conversar bastante a respeito, trocar idéias, opinar e ouvir o outro. Cada um vem de uma família diferente, com costumes e hábitos diferentes, com histórias diferentes e tem que entender que essa nova família será a somatória dessas experiências. Nenhum dos dois deve prevalecer, mas deve se formar uma nova realidade resultante dos dois. Como vêem é um desafio.

Quantos filhos seria ideal, tanto na questão financeira, como na educação?

Creio que não tem um número ideal de filhos para cada família. O importante é o planejamento desses filhos. Hoje em dia, geralmente, o pai e a mãe trabalham e a questão financeira é muito importante. Também dentro desta questão financeira está a educação dos filhos. Tudo isso precisa ser avaliado, conversado para chegar a uma solução de comum acordo. A tendência hoje, por causa da situação financeira e do trabalho dos pais, é diminuir a quantidade de filhos a um ou dois. Mas essa é uma decisão que cabe ao casal.

Quanto tempo dedicar a eles?

A realidade em que vivemos hoje é de que os pais trabalham o dia todo e os filhos ficam na escola, com uma babá ou com os avôs. Assim sendo, os filhos ficam pouco tempo com os pais, talvez umas poucas horas no final do dia e um pouco mais no final de semana. A quantidade de tempo não é o mais importante, devido às circunstâncias, o mais importante é a qualidade desse tempo. Quanto mais tempo tiver para estar com os filhos, melhor, mas que esse tempo seja um tempo de qualidade. O que quer dizer isso? Que esse tempo seja para brincar com eles, sentar no chão, conversar, conhecer os filhos profundamente e não passar o tempo frente a tv, sem trocar uma palavra. É verdade que os pais voltam do trabalho cansados, mas esses filhos têm que ser prioridade porque o tempo passa e as lamentações vêm depois. Por isso, é que é importante planejar o nascimento dos filhos, para estar preparados para abrir mãos deles mesmos e dar a esses filhos toda a atenção de que eles precisam.

Quais as atividades  indicaria para preencher o tempo da criança e até suprir a ausência dos pais, que muitas vezes trabalham. Em que idade iniciar cada uma delas?  

As crianças precisam brincar e ter atividades de acordo com sua idade, não somente para preencher o tempo, mas para desenvolver, amadurecer, tomar conhecimento do mundo que as rodeia e aprender a se relacionar. Hoje, a tv, o computador, os vídeos games e a internet atraem demais as crianças e ocupam a maior parte do tempo ocioso dela. É importante que esse tempo seja administrado pelos pais, que os pais saibam o que seus filhos estão assistindo e aprendendo.

As brincadeiras e as atividades devem desenvolver os talentos que cada criança tem, estimular a criatividade e o relacionamento. Muitas dessas atividades faziam parte das brincadeiras do passado e hoje precisam ser resgatadas. Alguns exemplos são: pega-pega, esconde-esconde, amarelinha, pião, pular corda, balança caixão, corre cutia, yo-yô, jogo da memória, dominó, construção de pipas, pintura, desenho e atividades manuais em geral. As lojas de brinquedos estão cheias desse tipo de brincadeiras, os pais precisam gastar tempo e escolher aquilo que é mais adequado para seus filhos, dependendo da idade. Quando iniciar? Desde bebê, estimulando a criança para um desenvolvimento sadio. Cada atividade sugerida tem uma habilidade que precisa ser trabalhada com a criança. A responsabilidade da educação dos filhos é dos pais e eles precisam orientar as pessoas que ficam com os filhos enquanto trabalham.  

Cris Poli é educadora há 40 anos, autora do livro "Filhos Autônomos, Filhos Felizes" e apresentadora do Reality Show Super Nanny, no SBT.

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições