O amor é tão forte quanto a morte

O amor é tão forte quanto a morte

Fonte: Atualizado: sábado, 29 de março de 2014 03:26

No title Cântico dos Cânticos de Salomão 8.6: "Coloque-me como um selo sobre o seu coração; como um selo sobre o seu braço; pois o amor é tão forte quanto a morte".

Dedico a mensagem de hoje ao médico e psiquiatra austríaco Viktor Frankl (1905-1997), pioneiro em explorar o sentido existencial do indivíduo e a sua dimensão espiritual, através de um sistema teórico que denominou Logoterapia, baseado na sua própria experiência de sobrevivente dos campos de concentração nazistas. Frankl, em todos os seus trabalhos, tratou da essência do que é ser humano: usar a capacidade de transcender uma situação extremamente desumanizadora, manter a liberdade interior e, apesar de todas as forças contrárias, jamais renunciar ao sentido da vida. Fez também questão de lembrar a importância de Deus na vida do ser humano. Este dia 26 de março é a data da 105ª comemoração do seu aniversário.

Uma maneira de encontrar significado na vida é experimentando algo. Como a bondade, a verdade, a beleza, a natureza, a cultura ou, ainda, experimentando outro ser humano em sua originalidade própria, ou seja, amando-o.

O amor é a única maneira de captar outro ser humano no íntimo da sua personalidade. Ninguém consegue ter consciência plena da essência última de outro ser humano sem amá-lo. Através do amor a pessoa se torna capaz de ver os traços característicos e as feições essenciais do seu amado. E mais, ela vê o que está potencialmente contido nele, mesmo aquilo que ainda não foi realizado.

O amor não deve ser interpretado como mero fenômeno de impulsos e instintos no sentido de uma assim chamada sublimação (Freud). O amor é um fenômeno tão primário como o sexo. Normalmente sexo é uma modalidade de expressão do amor. Este se justifica, porém, apenas enquanto for veículo do amor. Desta forma o amor não é entendido como mero efeito colateral do sexo, e sim é entendido como um meio de expressar a experiência daquela união chamada de amor.

Pense nisto: a redenção final do ser humano se dará no amor e através dele!

Paulo Henrique Oliveira Costa

Paulo Henrique Oliveira Costa é pesquisador especialmente interessado no estudo entre as tensões provocadas pelo que as Ciências postulam e comprovam, através dos seus experimentos científicos; pelo que a Filosofia elabora, através da lógica e da razão em diversas áreas do pensamento humano e, também, pelas convicções que as religiões e o Cristianismo nos proporcionam, através da Fé. Tendo optado por uma formação profissional em Tecnologia da Informação, área em que exerce suas atividades, nunca se afastou completamente do seu gosto pelo conhecimento e pela pesquisa, despertado em casa pelos pais. Em 2009, lançou seu primeiro livro: Alegria - Restaurando o Entusiasmo para Viver, pela Editora Fôlego, onde propõe uma alternativa viável para superarmos as fraquezas e as dificuldades nos tempos atuais, restaurando o otimismo, a esperança, a liberdade, o perdão, a saúde e a disposição para o serviço, através de uma verdadeira alegria. É casado e pai de três filhos.

Contato: [email protected]

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições