2ª feira tem colheita no cafezal mais urbano do mundo

2ª feira tem colheita no cafezal mais urbano do mundo

Atualizado: Segunda-feira, 16 Junho de 2008 as 12

Colheita será realizada no cafezal do Instituto Biológico, uma das últimas áreas com café da capital de São Paulo, ao lado do Ibirapuera e atrás do prédio do Detran

Congestionamentos à parte, a cidade de São Paulo viverá, na manhã da próxima segunda-feira, dia 16, um momento típico da tranqüilidade da área rural, em plena região do Parque do Ibirapuera: a colheita no cafezal do Instituto Biológico, localizado na Vila Mariana, próximo à Avenida 23 de Maio e atrás do prédio do Detran. O evento, já tradicional, comemora de forma simbólica a colheita de café em todo o Estado de São Paulo.

Estarão presentes Antônio Julio Junqueira de Queiroz, secretário adjunto da Agricultura e Abastecimento; Antônio Batista Filho, diretor do Instituto Biológico, Nathan Herszkowicz, presidente da Câmara Setorial do Café; José Cassiano, coordenador da Codeagro ? Coordenadoria do Desenvolvimento do Agronegócio, além de parlamentares e representantes de todo o agronegócio, entre produtores, cooperativas, associações, sindicatos, industriais, supermercadistas, baristas e donos de casas de café.

Os convidados, com todo o aparato necessário, farão a colheita seletiva, retirando com as mãos apenas os grãos bem amadurecidos. O cafezal do Instituto Biológico possui 1.305 pés de cafés arábica, plantados em uma área de 10 mil m2 . A safra desse ano deverá render 8 sacas, cerca de 500 kg, que serão industrializados e doados ao Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo, presidido pela primeira-dama Mônica Serra, que também estará presente.

Durante o evento, o arquiteto Paulo Bastos, ex-presidente do Comdephaat, apresentará o pré-projeto do Espaço Educativo do Café no Instituto Biológico, destinado a turistas, escolares e publico em geral. Essa área vai mostrar todo o ciclo de produção do café, desde a plantação, usando o cafezal do Biológico, até a industrialização e consumo, por meio de uma mini-indústria que deverá ser montada no local, onde as pessoas poderão comprar o café torrado e moído na hora, e de uma completa cafeteria.

Almoço italiano

Após a colheita simbólica, o grupo de convidados participa de um almoço em área anexa ao cafezal, que será em estilo italiano: músicas, comida e roupas. "Quero evidenciar a importância dos primeiros imigrantes italianos que vieram para o Brasil trabalhar nas fazendas de café, após o fim da escravidão", diz o chef Sauro Scarabotta, responsável pelo cardápio. Ele é diretor da ABAGA ? Associação Brasileira da Alta Gastronomia, entidade que realiza este evento juntamente com o Sindicafé-São Paulo e o Instituto Biológico, com o apoio da ABIC - Associação Brasileira da Indústria de Café.

"Não podemos esquecer que na Itália não existe um único pé de café, mas o italiano adora essa bebida, tanto que, graças à sua genialidade, criou o 'espresso' e o cappuccino, duas iguarias apreciadas no mundo inteiro", diz o chef de cuisine, acrescentando que o café estará presente nos vários pratos do cardápio, inclusive nos salgados e até na sobremesa.

Durante o evento serão também apresentadas as ações programadas pela Secretaria da Agricultura e pela Câmara Setorial para todo o período da colheita, que prossegue até agosto. Além de palestras técnicas sobre manejo, armazenamento e secagem do grão, os cafeicultores recebem, durante esses meses, assistência e orientação dos técnicos da Secretaria, de cooperativas e sindicatos, para que produzam cada vez mais um café de melhor qualidade.

Safra 2008

Reunindo as indústrias líderes do setor de torrefação, o Estado de São Paulo responde por 43% da produção nacional de café torrado e moído. Segundo maior produtor de café arábica, e em terceira posição no ranking nacional quando se considera o plantio de conillon, São Paulo deverá colher na safra 2008, de acordo com a Conab - Companhia Nacional de Abastecimento,  4.720 milhões de sacas, o dobro da produção em 2007, que ficou em 2.632 milhões de sacas. A produtividade no Estado deverá ser a maior do país: 30,51 sacas por hectare (contra 15,60 sacas/há em 2007).

O Cafezal do Biológico

O Instituto Biológico, um dos maiores centros de investigação, estudo e pesquisas de pragas e doenças e de produção de vacinas contra males como aftosa e brucelose, foi criado em 1924 justamente para estudar o combate à broca do café. O primeiro plantio foi na década de 40 e servia como objeto de estudo e material de pesquisa.

Na década de 80, todo o café foi retirado, com replantio em 1982 e em 1986. A variedade plantada é a Novo Mundo, uma das muitas desenvolvidas pelo Instituto Agronômico de Campinas (IAC), também órgão da Secretaria de Agricultura.

Sabor da Colheita 2008

Dia: 16 de Junho ? Segunda-feira

A partir das 10h

Local: Cafezal do Instituto Biológico - Rua Conselheiro Rodrigues Alves, 1252 ? Vila Mariana - São Paulo/SP

veja também