A história do macarrão

A história do macarrão

Atualizado: Segunda-feira, 17 Novembro de 2008 as 12

Sabe-se que o macarrão começou a ser preparado logo que o homem descobriu que podia moer alguns cereais, misturar com água e obter uma pasta cozida ou assada. É difícil dizer, porém, onde e quando isso aconteceu. A história do macarrão se confunde com alguns fatos históricos, que mostram a trajetória desse apreciado produto ao longo dos séculos.

Textos de civilizações antigas relatam que os assírios e babilônios, por volta de 2500 a.C., já conheciam um produto cozido à base de cereais e água. Mas, a primeira referência do macarrão cozido, e a mais próxima ao Ocidente, está no Talmud de Jerusalém, o livro que traz as leis judaicas do século 5 a.C. O "itriyah" dos antigos hebreus era uma espécie de massa chata usada em cerimônias religiosas. Em Roma, no Século 7 a.C., comia-se uma papa de farinha cozida em água, chamada "pultes". Com legumes e carne era chamada de "puls púnica". Com queijo fresco e mel, "puls Julia".

A palavra "macarrão" vem do grego "makària" (caldo de carne enriquecido por pelotinhas de farinha de trigo e por cereais, cerca de 25 séculos atrás). A palavra "pasta" (massa dos italianos) vem do grego "pastillos" (pastillos é citado em seus textos por um poeta, especialista em versos culinários, o grande Horácio).

Na versão mais comum, o macarrão teria chegado ao Ocidente em 1295, pelas mãos de Marco Polo, mercador veneziano que visitou a China, onde passou 17 anos e teria conhecido a iguaria. Mas, na verdade, isso não passa de uma lenda difundida a partir dos Estados Unidos no final do século 19, Entretanto, na Itália, em 1279, foi registrada, em um inventário, que soldado genovês, Ponzio Bastione, deixava à família uma "cesta de massas".

A palavra utilizada no inventário era macaronis, que seria derivada do verbo maccari, de um antigo dialeto da Sicília, que significa achatar que, por sua vez, vem do grego makar, que quer dizer sagrado.  O termo macarrão foi usado na Idade Média para indicar vários tipos de massas.

A versão mais aceita pelos historiadores até a descoberta dos arqueólogos chineses  em 2005 afirmava que os árabes são os verdadeiros pais do macarrão, levando-o à Sicília no século 9, quando conquistaram a maior ilha italiana. Era uma massa seca para melhor conservação nas longas travessias pelo deserto.

Nesta época, a Sicília tornou-se o centro mais importante do comércio e exportação de macarrão. Os navegadores genoveses transportavam o produto para importantes portos do Mediterrâneo, como Nápoles, Roma, Piombino, Viareggio.

Apesar das confusões, uma coisa é certa: a partir do século 13, os italianos foram os maiores difusores do macarrão no mundo e inventaram mais de 500 variedades de tipos e formatos. São também os maiores consumidores, refestelando-se com 28,2 kg de massa ao ano por pessoa. Os brasileiros aparecem como 4º do ranking, com um consumo anual de 5,8 kg por pessoa.

Macarrão no Brasil

No Brasil, aliás como em boa parte do mundo, o macarrão chegou pelas mãos dos imigrantes italianos, na segunda metade do século 19 e foi facilmente assimilado e introduzido nos nossos hábitos alimentares, principalmente na região Sul do país. O crescente interesse da população pelo produto, fez surgir pequenas fábricas de macarrão, que tinham sempre como mão de obra a família italiana. E, foi assim, com uma produção rudimentar, de baixo volume e bem caseira, até começarem a surgir as primeiras indústrias de massas alimentícias, que, nos dias atuais, possuem modernas máquinas e alta tecnologia e respondem pela terceira maior produção do mundo.  

veja também