Alimentos podem retardar o envelhecimento

Alimentos podem retardar o envelhecimento

Atualizado: Terça-feira, 28 Outubro de 2008 as 12

Envelhecer! Palavra temida pela sociedade moderna que busca manter boa aparência física, as expressões marcantes como rugas, pele flácida e cabelos brancos tornam-se problemas. Entretanto, existe um aliado natural e que está ao alcance de todos, os alimentos. Com substâncias antioxidantes, alguns alimentos são capazes de nos proteger contra os radicais livres (moléculas tóxicas formadas pelo corpo) que atuam danificando as membranas celulares e, consequentemente, contribuindo para o envelhecimento precoce.

Os bons hábitos alimentares podem refletir positivamente sob a forma de resposta do nosso corpo. A ingestão de alimentos ricos em vitamina A, C e E pode impedir a ação corrosiva dos radicais livres nas células do organismo. As frutas cítricas (acerola, abacaxi, laranja e limão), por exemplo, por serem ricas em vitamina C irrigam e oxigenam a pele, agem contra o aparecimento de varizes e celulite, previnem rugas e flacidez e participam da produção de colágeno. Já o chá verde, o morango e a uva possuem polifenóis (antioxidante) que estimulam as funções do fígado, garantem maior disposição, tornam a pele mais saudável e bonita, além de prevenir o envelhecimento.

Hoje, unânimes em ressaltar a importância dos alimentos, os nutricionistas têm razão quando são apontados os elementos benéficos que podem combater substâncias degenerativas. O consumo de soja e derivados é um grande exemplo, uma vez que contêm Isoflavonas (fitoestrógenos que possuem ação semelhante ao hormônio feminino estrogênio) que são decisivas para evitar o ressecamento da pele e melhorar a elasticidade, garantindo uma pele mais jovem e saudável.

A nutricionista Roseli Rossi, da clínica Equilíbrio Nutricional, ressalta que a alimentação pode ajudar muito no processo de retardar o envelhecimento, porém coloca como observação a dieta que está sendo feita. "É preciso ter cautela na dieta, pois alguns alimentos em vez de ajudar, atrapalham. O envelhecimento é um processo inflamatório microscópico de células e o consumo de alimentos com elevado nível de carboidratos refinados, gorduras saturadas, trans, sódio e calorias faz o organismo produzir mais substâncias inflamatórias e, consequentemente, acelera o processo degenerativo das células do corpo".

Ter um estilo de vida saudável, praticar atividades físicas e, principalmente, cuidar da alimentação é construir barreiras contra o envelhecimento. Por isso, a nutricionista Roseli Rossi elaborou um quadro com dicas de alimentos que podem retardar o envelhecimento.

Vitamina E: Uma vitamina fundamental para retardar o envelhecimento dos tecidos por contribuir para manter a elasticidade natural e enrijecimento dos tecidos.

Fontes: Óleos vegetais, gérmen de trigo, nozes, sementes, grãos inteiros e os vegetais de folhas verdes.

Selênio: É um oligoelemento, poderoso antioxidante, é essencial para o funcionamento normal do sistema imunológico e glândulas de tireóide.

Fontes: Carnes, oleaginosas (castanha do Pará, castanha de caju, amêndoas, nozes), cereais integrais, ovos, leite e derivados.

Zinco: Necessário para a síntese de enzimas relacionadas à ação antioxidante, cicatrização e produção de colágeno. Possui relação com a manutenção de uma pele saudável, ou seja, sua deficiência ocasiona lesões em pele, má cicatrização, acne, manchas brancas nas unhas, entre outros problemas.

Fontes: Carnes, aves, frutos do mar, laticínios, feijões, lentilhas, nozes, sementes (em especial a de abóbora) e cereais integrais.

Bioflavonóides: São componentes das plantas que agem como antioxidantes. Além de proteger a vitamina C de uma possível oxidação no sangue, permite que o corpo seja beneficiado por uma ação mais ampla da vitamina. Possui propriedades anti-alérgicas, anti-inflamatórias, anti-bactericidas, anti-virais e anti-oxidantes, prevenindo contra o envelhecimento precoce.

Fontes: Frutas cítricas e uvas vermelhas ou escuras.

Carotenóides: Com atividade pró-vitamina A, tem função antimutagênico por seu efeito imunomodelador, oferece proteção contra algumas doenças degenerativas, como certos tipos de câncer, doenças cardiovasculares e catarata. Inibe a modificação decorrente a ação oxidativa em lipoproteína de baixa densidade, influencia positivamente no processo aterosclerótico e, conseqüentemente, a progressão de doenças coronarianas.

veja também