Autor do melhor pastel de feira de São Paulo conta segredos

Autor do melhor pastel de feira de São Paulo conta segredos

Atualizado: Terça-feira, 24 Agosto de 2010 as 9:45

Talvez tenham sido os 35 anos de experiênica no ramo que deram à barraca Agena o primeiro lugar no concurso O Melhor Pastel de Feira de São Paulo. A barraca passou de pais para filhos e hoje quem a comanda é Willian Yutaka Agena e Silva. A etapa final da competição aconteceu no início da tarde desta segunda-feira (23), na praça Charles Miller, no Pacaembu (zona oeste). Quem passou por lá pôde degustar as delícias preparadas pelos dez finalistas desembolsando apenas R$ 1 por salgado (clique aqui para saber onde comer o melhor pastel).

Além do sabor, da qualidade e da textura da massa, do tempero e do recheio, foram avaliados pelo júri de chefs renomados o atendimento aos clientes, a higiene das barracas e dos funcionários e a conservação dos molhos. Mas qual é o segredo da barraca Agena para deixar para trás os outros nove concorrentes?

Desconfiado, o comandante do quitute vencedor se esquiva ao dar a resposta. Diz que os pastéis vendidos nas feiras são feitos em máquinas especiais e alisados em cilindros. Portanto, a receita preparada em casa e alisada com as mãos nunca ficará igual. Mesmo assim, Agena e Silva, que embolsou R$ 8.000 pelo salgado premiado, deu algumas dicas para quem quiser incrementar seu pastel:

- O óleo tem de estar bem quente, em torno de 150° C. Já a massa precisa ser consistente. Nem muito fina nem muito mole.

Os ingredientes, explica o pasteleiro, devem estar bem sequinhos. As carnes, por exemplo, precisam ser escorridas antes de preparadas. Caso contrário, o recheio fica úmido, e o pastel não fica crocante.

- Tomate, só uso se estiver cortado em rodelas, pois é um ingrediente que solta muita água e que faz a massa fermentar. Para temperar, vai da mão da pessoa.

O segundo lugar

Vencedor da competição no ano passado, o pastel da barraca da Dona Maria ficou em segundo lugar no concurso deste ano e leva R$ 2.000 para casa. Em comum com os atuais campeões, a vice tem a ascendência oriental. Para ela, aliás, o sucesso no ramo comercial estaria relacionado ao DNA.

- Os orientais têm mão para a massa, que é o quesito mais importante do pastel. Para o R7, Dona Maria concorda em revelar, sussurrando, o segredo dos seus quitutes. Trata-se do glutamato de sódio - acrescentado à massa. Mas a pasteleira explica que não vale a pena fazê-la em casa.

- A massa precisa ser bem sovada. Nas feiras, isso é feito com um equipamento específico. Por isso, não fica igual quando preparada em casa. É melhor comprar pronta.

Por: Helena Dias

veja também