Bem bolados

Bem bolados

Atualizado: Quarta-feira, 10 Novembro de 2010 as 12:53

O sociólogo pernambucano Gilberto Freyre (1900-1987) foi um obstinado defensor da preservação dos costumes culinários nacionais. Em sua obra Açúcar (Global Editora, 2007), descreveu afetuosamente o "gosto todo especial em preparar um pudim ou um bolo por uma receita velha de avó. (...) Que é um doce de pedigree, e não um doce improvisado ou imitado dos estrangeiros. Que tem história. Que tem passado".

Experimente, então, puxar pela memória o aroma de um bolo de fubá saído do forno. Ou um de cenoura, amarelinho por dentro e coroado por uma fina casquinha de chocolate que se quebra em pedacinhos à primeira mordida. São iguarias singelas, desprovidas de recheios enjoativos ou coberturas rebuscadas. E por serem naturalmente simples povoam nosso imaginário em dias de chuva, manhãs ensolaradas ou nas melancólicas tardes de domingo.

Receitas assim alegraram a infância da paulista Simone Ferrarezi e a levaram, tempos depois, a abandonar a carreira de marketing para trabalhar na cozinha. Há pouco mais de um ano, ela decidiu resgatar bolos clássicos, prepará-los à moda antiga, mas apresentá-los de um jeito diferente. Em vez das usuais assadeiras quadradas ou redondas, Simone passou a usar fôrmas modernas e decoradas, que trouxe de suas viagens ao exterior.

Depois de assadas e desenformadas, as massas ganharam corpo em bolos altos e fofos, apresentados quase como obras de arte. "As receitas são as mesmas do passado, mas o visual é novo, surpreendente", diz Simone. A experiência, inicialmente caseira, fez sucesso com o público e ganhou o nome de Crazy for Cakes. Hoje, para dar conta das dezenas de encomendas que recebe por semana (apenas por telefone ou pelo site), a boleira tratou de ampliar a própria cozinha e equipá-la com três batedeiras e dois fornos.

"Alguns bolos eu gosto de bater a mão, para ser fiel à tradição", explica Simone. Ela prepara vinte sabores vendidos por unidade (62 a 84 reais). Tem de banana, iogurte, chocolate, laranja, entre outros ingredientes.

Para comer com os olhos

Inspirado na ideia da Simone, o iG Comida vasculhou algumas lojas de São Paulo à caça de fôrmas com design arrojado. Descobrimos que, felizmente, esse tipo de produto já está disponível no mercado nacional, em endereços especializados em artigos para cozinha (confira abaixo). A má notícia, no entanto, é que essas fôrmas custam caro – podem chegar a salgados 268 reais!

Para quem gosta de cozinhar, elas são um investimento, um capricho que faz a diferença na hora de servir o chá da tarde para a família ou para os amigos. Além disso, também são ótimas opções para presentear, de preferência com o bolo dentro, claro.

"Mas alguns truques devem ser observados no caso dessas fôrmas especiais", diz a chef pâtissière Kiki Felipe. Como são cheias de dobras e recortes, ela explica que é indispensável untá-las muito bem. Para isso, use manteiga derretida e um pincel de cozinha, para alcançar todos os cantinhos. Escorra o excesso de manteiga e polvilhe uma fina camada de farinha peneirada.

A convite da reportagem, Kiki preparou cinco bolos tradicionais: fubá, chocolate, cenoura, laranja e banana. Cada um em uma assadeira diferente.

Bolo de fubá

Ingredientes:

2 ovos 2 xícaras (chá) de leite 1 ½ xícaras (chá) de açúcar cristal 1 xícara (chá) de óleo de canola 2 xícaras (chá) de fubá 1 colher (sopa) de fermento em pó 100g de queijo parmesão ralado

Modo de Preparo:

Pré-aqueça o forno a 180ºC (fogo médio). Bata no liquidificador os ovos, o leite e o açúcar. Em seguida, junte o óleo e o fubá. Por último, acrescente o fermento e o queijo ralado. Despeje em uma fôrma untada com manteiga derretida e polvilhada com fubá. Leve para assar por cerca de 50 minutos. Faça o teste do palito: se sair seco, o bolo está pronto. Desenforme quando estiver morno.

veja também