Chef conta um pouco sobre como é cozinha a 35 mil pés de altitude

Chef conta um pouco sobre como é cozinha a 35 mil pés de altitude

Atualizado: Segunda-feira, 6 Junho de 2011 as 11:06

Com muita simpatia, o Chef Shashi Sanamvenkata concedeu ao Portal G&N uma entrevista que se deu após sua experiência de cozinhar em um Boeing 777 a 35 mil pés. Durante o voo, o chef serviu pratos exclusivos com o Camarão e Vieiras Grelhadas com Fatias de Limão como aperitivo; Peito de Frango Assado e recheado com Queijo Branco e Farofa de Nozes e Quadrados de Massa Gourmet Recheados com Cogumelos Shiitake como pratos principais; além de sobremesas, cestas de pães, bebidas, e várias outras opções para o jantar e café da manhã.  

A experiência elaborada pela Continental Airlines consiste em oferecer um chef a bordo de alguns dos voos internacionais da companhia durante o ano. Ele vestirá o seu chapéu e avental branco, para proprocionar aos passageiros refeições de alta qualidade e uma experiência gastronômica única a uma altura de 35.000 pés. O chef visitará os passageiros e ouvirá os seus comentários e sugestões, além de dar dicas de serviço para os comissários de bordo.  

Shashi nos contou um pouco sobre sua carreira, e os desafios de cozinhar a 35 mil pés :  

Quais são as diferenças de preparar um menu em uma cozinha de avião ?  

Há uma certa dificuldade, pois o espaço da cozinha é reduzido, e devemos ser econômicos. Mas ouvindo os passageiros, e com uma certa praticidade, é possível elaborar refeições deliciosas. As refeições devem estar estocados nos lugares e condições corretas, pois já vem pré-preparados.  

Em relação aos ingredientes, que fatores você leva em conta para preparar o menu ?  

Sempre procuro estudar um pouco da gastronomia dos locais que serão a rota daquele vôo. Fatores culturais influenciam o preparo dos pratos. Alguns sabores e temperos típicos são de bom uso, porém como nem todos os passageiros são daquele destino, temos que "universalizar" os pratos, para que todos possam aproveitar.

O que te levou a ser um chef do setor das companhias aéreas ?  

Acho que o principal foi o desafio. Ter que preparar um menu saudável e gostoso, e que ao mesmo tempo seja fácil de preparo e estoque, é um desafio para qualquer chef. Aprendi e testei vários limities da minha culinária, desenvolvendo o melhor possível para os clientes da companhia.  

Sobre as companhias que vendem a refeição em seus vôos, você acha que é o futuro da aviação ?  

De fato é uma coisa interessante, esse pensamento, pois o tratamento de qualidade deveria ser a maior preocupação de toda companhia. Mas vejo isso como um complemento. Acredito que elas continuem servindo uma refeição mínima, e trabalhem com essa possibilidade de complementá-las.  

Finalizando, o que você considera como a refeição ideal ?  

A refeição ideal é sempre a refeição saudável. Uma boa combinação de sabores, e cores, provenientes de ingredientes saudáveis. Ela é balanceada e saudável. Vegetais frescos são sempre boas opções, além de combinações com pães integrais.    

veja também