Com preço 10% menor, bacalhau terá aumento de vendas em 15%

Com preço 10% menor, bacalhau terá aumento de vendas em 15%

Atualizado: Quinta-feira, 31 Março de 2011 as 11:43

A   Casa Godinho , empório de secos e molhados finos com mais de 120 anos de história, é um dos estabelecimentos mais tradicionais na venda de bacalhau na Capital. Em 2010, a casa se prepara para o período de vendas de final de ano com grande expectativa. Especialmente para o período de festas, a Casa Godinho comprou 4,5 toneladas de bacalhau.   “Podemos esperar um aumento nas vendas de até 15% neste ano, afirma o proprietário Miguel Romano (foto). Essa confiança se deve ao bom momento da economia com a geração de empregos, além do desaparecimento do fantasma da crise, problema que trouxe receio aos clientes e insatisfação dos comerciantes devido ao “estacionamento” nas vendas do ano passado.A Casa Godinho vende as variedades mais nobres do bacalhau, os tipos ‘gadus morhua’ e ‘gadus macrocephalus’ – limpos, sem pele e espinhas e cortado em postas. “É um jeito mais gourmet de vender bacalhau”, argumenta Romano. O ‘gadus morhua’ será vendido por R$ 69,90 o quilo e o ‘gadus macrocephalus’ por R$ 59,95 o quilo.Miguel Romano conta que o preço do bacalhau teve queda de 10% em comparação com o último ano, e também os vinhos e as frutas secas apresentaram diminuição nos preços. Sendo assim, ele acredita que o consumo desses produtos pelas classes C e D deverá crescer neste final de ano.  

Segundo o empresário, as classes C e D estão consumindo cada vez mais e colocando a economia para aquecer. “Hoje em dia, podemos ver uma garrafa de vinho na mesa de famílias de variadas classes sociais. Temos na Casa Godinho vinhos acessíveis a todos, com preços que variam entre R$ 7 e R$ 700”. Com relação às bebidas, a Casa Godinho reforçou o seu estoque de vinhos, espumantes e champagnes em 10% especialmente para o fim do ano.Além de ser uma ótima alternativa na hora de realizar as compras de fim de ano, a Casa Godinho é um endereço interessante para se visitar – o local está prestes a ser o primeiro estabelecimento comercial de São Paulo a ser tombado pelo patrimônio histórico. O processo de tombamento está em curso através do Conpresp.  

veja também