Cuidados com os filhos durante o verão: alimentação durante as festas

Cuidados com os filhos durante o verão: alimentação durante as festas

Atualizado: Segunda-feira, 13 Dezembro de 2010 as 1:08

Apesar da atmosfera tropical, o Natal no Brasil tem como modelo de comemoração os pratos e alimentos consumidos no Hemisfério Norte (onde o final de ano é caracterizado pelo inverno). Por isso não é incomum que nas ceias, em boa parte do País, o cardápio seja farto em carnes gordurosas, nozes e frutas secas, além de uma boa quantidade de açúcar nos doces das sobremesas (esse último, na verdade, um costume bem brasileiro). Essas comidas “pesadas” – de difícil digestão – são muito saborosas, não há como negar, mas é preciso tomar cuidado para que as crianças não acabem tendo problemas nos dias que se seguem ao Natal.

Cuidados com os filhos durante o verão: alimentação durante as festas“Além do fato desses alimentos serem ‘pesados’, existe o fato de se consumir uma quantidade exagerada por conta do clima de festa nessas épocas. O organismo das crianças pequenas não está preparado para isso, em especial para as carnes de porco, que também podem ser alergênicas, por exemplo”, explica Viviane Guerra, nutricionista do Hospital Santa Catarina (HSC), em São Paulo.

Já as nozes, amêndoas e castanhas, apesar de ricas em gorduras, são alimentos bastante saudáveis desde que respeitando uma quantidade pequena de consumo. “Até 20 gramas de consumo diário de nozes é o ideal. O organismo se beneficia bastante do selênio encontrado nesses alimentos. Mais que isso já é exagero, e o excesso de selênio pode fazer mais mal do que bem para o corpo”, afirma Viviane.

Deve-se também tomar cuidado com a quantidade de doces consumidos, lembra Viviane. Isso pode comprometer o trato intestinal, resultando em desarranjos. Mas a especialista lembra que a “dor de barriga” causada pelo excesso de doces não deve ser confundida com diarreia infecciosa.

O a ingestão de açúcar em excesso, pode causar diarreia líquida, cólica e distensão abdominal pela fermentação no lumen intestinal e diminuição da reabsorção da água. “O açúcar no organismo pode fazer que o lúmen das fezes absorva mais água, se tornando mais líquidas. Mas é bom observar que a diarreia, causada por uma infecção intestinal ou uma intoxicação alimentar, é caracterizada por mais de cinco episódios de desarranjos intestinais ao longo de um dia. Observando-se com atenção essa periodicidade, é possível que o problema seja mais do que simples consumo excessivo de açúcar”, detalha Viviane.

Ritmo das crianças deve ser respeitado

Outra questão importante para os pais é quanto ao ritmo das refeições durante as festas de final de ano. Crianças de até 5 anos de idade estão na fase de consolidação de hábitos alimentares.

“Muitos pais acham que as crianças também têm maior maleabilidade nos horários das refeições, ou seja, podem passar da hora de comer, esperar um pouco até que todos os convidados cheguem, coisas comuns durante eventos sociais que envolvem muitas pessoas. Mas não é assim. Tirar as crianças do ritmo normal das refeições pode resultar em maior irritação ou mesmo causar dores de cabeça nelas. Por isso, o horário de alimentação dos adultos pode ser diverso, mas o das crianças tem de respeitar o ritmo imposto no dia a dia”, explica Viviane.

Guardar os alimentos de forma correta

Os cuidados para armazenar esses alimentos que restaram das festas familiares é outro ponto importante nessa época. Viviane dá algumas dicas para a conservação dos alimentos na geladeira e lembra: depois do alimento ser cozido ou preparado, cada hora exposto ao ar aumenta o risco de proliferação de bactérias.

• Tomar cuidado com a temperatura da geladeira

É preciso que a geladeira não esteja com excesso de comidas guardadas. Isso porque a temperatura ideal para que o alimento seja conservado é em torno dos 10º C. Quando há muita comida, essa temperatura pode variar para mais, pois o aparelho de refrigeração – principalmente no verão e com pessoas abrindo e fechando a geladeira – não dá conta de manter os alimentos conservados.

• Cuidado com os alimentos e bebidas com muito manuseio

Potes e garrafas que são muito manuseados entram em contato com diversas superfícies que podem não estar higienizadas adequadamente. Isso pode causar a chamada “contaminação cruzada”, quando outros alimentos podem se contaminar a partir de focos de micro-organismos nesses objetos.

• Comidas que estragam mais rapidamente em locais mais frescos

Para saber o local ideal na geladeira é sempre bom lembrar que quanto mais acima e mais ao fundo, mais gelado é o ambiente dentro do refrigerador. A porta e os primeiros alimentos nas prateleiras são os que mais têm variação na temperatura. Aqueles alimentos nos gaveteiros na parte de baixo da geladeira também devem ser os mais resistentes, como as frutas e verduras, por exemplo.

• Utilizar tampas ou filmes plásticos

Diminuir a superfície de contato com o ar faz que os alimentos sejam menos contaminados. No caso dos potes com tampa, evite o contato do alimento com a tampa em si, pois é o local mais suscetível ao manuseio e ao contato com outras superfícies. Os filmes plásticos também não devem ser reutilizados.

• Caso haja aproveitamento dos alimentos, deve-se optar por esquentar porções individuais

A cada vez que o alimento tem sua temperatura aumentada o risco de que os micro-organismos presentes nessas superfícies se reproduzam também aumenta. Por isso, quanto menos manuseio, melhor. Na hora de se servir de alimentos guardados do dia anterior, prefira esquentar apenas as porções a serem consumidas e não todo o prato novamente.

F onte: O que eu tenho?

veja também