Curso de gastronomia árabe atrai pessoas de várias regiões de SP

Curso de gastronomia árabe atrai pessoas de várias regiões de SP

Atualizado: Quarta-feira, 1 Outubro de 2008 as 12

Da Redação

Gastronomia e evangelismo são as principais carcterísticas do Curso de Culinária que acontece todas às quintas-feiras na Igreja Evangélica Árabe. O projeto tem atraído interessados pelas iguarias tradicionais da cozinha árbe. Algumas receitas já exploradas durante o curso foram: Kibe Cru , Mantecal , Arroz Árabe e Charuto de Folha de Uva . Em entrevista ao Guia-me, a idealizadora do projeto, Lydia Samara, falou sobre o início do curso, há um ano, da questão evangelística inserida como propósito principal das aulas e da excelente relação entre a professora libanesa Jamile Bitar e os alunos. "A comunidade que queríamos alcançar, não alcançamos. Foram pessoas que realmente passavam por aqui. Tinham pessoas da Freguesia do Ó, Diadema, São Bernardo. Foi além da nossa expectativa", afirmou Samara.

A Igreja Árabe está aberta para interessados em trabalhar como voluntários no Curso de Gastronomia Árabe. Mais informações pelo telefone: (11) 5579-7594.

Guia-me: Como surgiu a idéia do projeto de Culinária Árabe?

Lydia Samara: O projeto tem em torno de um ano. A idéia começou com o desejo de fazer um trabalho evangelístico com a comunidade ao redor da Igreja. O objetivo principal era trazer mulheres e crianças para poderem participar de alguns cursos e aproveitar esses momentos para aplicar o evangelho. Tínhamos a idéia de vários cursos, mas haviam poucos voluntários para ajudar.

Guia-me: Quais desses cursos tiveram mais procura?

Lydia Samara: Não houve uma divulgação muito grande para os cursos, mas os que tivemos mais procura entre os de bordado, arte, culinária e confeitaria foram o de confeitaria brasileira e culinária árabe. Depois, como a professora de confeitaria não pôde mais trabalhar, ficou só o curso de culinária árabe.

Guia-me: As pessoas que participam do curso de Culinária Árabe são membros da Igreja Árabe?

Lydia Samara: Tivemos procura de pessoas que paravam no ponto de ônibus em frente - milhares de pessoas param nele. Na época de começar o curso, a gente coloca a faixa e há uma procura muito grande. Os alunos de hoje já estão conosco há mais de um ano. A comunidade que queríamos alcançar, não alcançamos. Foram pessoas que realmente passavam por aqui. Tinham pessoas da Freguesia do Ó, Diadema, São Bernardo. Foi além da nossa expectativa. Hoje, temos em torno de 15 alunas, além de alguns homens.

Guia-me: O que você destacaria de fator positivo nesse projeto?

Lydia Samara: Um dos fatores positivos foi a interação da nossa professora com os alunos. O meu outro foco era colocar as mulheres da Igreja Árabe para trabalhar. A tradição da Igreja árabe é diferente em relação a tradição de outras de São Paulo. O trabalho das mulheres daqui é muito voltado aos almoços da Igreja. Queria colocar elas para fazerem outra coisa. Aí abriu o curso. Em resumo, destaco a interação das nossas mulheres com as mulheres da comunidade.

Guia-me: Como você conheceu a Profª Jamily Bitar?

Lydia Samara: Desde que eu entrei na Igreja, bem pequena, ela já congregava aqui.  As receitas todas são dela. Ela já é profissional dentro da culinária árabe, embora não seja formada. As receitas utilizadas são originais. Ela pega as receitas de família e prepara o curso.

Guia-me: Existe uma programação pré-definida das receitas a serem ensinadas, ou as pessoas ficam sabendo quando chegam na aula?

Lydia Samara: Elas ficam sabendo quando chegam aqui. Mas a professora meio que pré-define o que ela vai dar.

Guia-me: Quanto tempo dura o curso?

Lydia Samara: O curso dura quatro meses. Acontece às quintas-feiras, às 14h.

Guia-me: Como acontece o trabalho de evangelismo no curso?

Lydia Samara: 15 minutos antes uma pessoa fala com eles a Palavra de Deus e ora também. Embora seja pouco, trabalhamos a questão de testemunhos e conversões. Vamos começar a selecionar pessoas para poderem aprofundar a questão evangelistica.

Guia-me: Qual o principal objetivo daqui por diante?

Lydia Samara: Pretendemos conquistas novos alunos. A relação dos alunos de hoje com a professora está muito pessoal. Eles a amam muito, tem até o telefone celular. É uma relação muito forte. Eles fazem encomenda com ela também.

veja também