Festival gastronômico agita fim de semana em Martins (RN)

Festival gastronômico agita fim de semana em Martins (RN)

Atualizado: Segunda-feira, 27 Julho de 2009 as 12

Nem a chuva, nem a cerração que caiu nas primeiras horas de sexta-feira, atrapalharam os caminhos que levaram à serra de Martins no último final de semana. Uma das mais belas cidades do oeste potiguar se encheu de gente, cultura e sabor durante os quatro dias, e o caldeirão do Festival de Martins ferveu até soltar fumaça nesta sexta edição que terminou domingo em grande estilo — abrindo oficialmente o projeto "Roteiro dos Festivais Gastronômicos e Culturais do Rio Grande do Norte".

A diversidade cultural tomou conta de cada cantinho da cidade, permitindo uma integração total da população, visitantes e turistas de regiões mais distantes, consagrando o evento como o maior festival gastronômico do Estado.     

Na praça central um grande caldeirão de ferro com fumaça de gelo seco, numa concepção das artistas Edi Germano e Vera França (EdiVera), atraía a atenção dos visitantes e população. Enquanto isso, na grande Cozinha-Show, jovens chefs e nomes consagrados da gastronomia brasileira elegiam o inhame, a carne de sol, o jerimum e outras iguarias da mesa sertaneja como produtos em alta nas requintadas mesas, levantando a bandeira da alimentação equilibrada e da melhor utilização dos produtos regionais.

Em frente à igreja, crianças e adultos se divertiam assistindo a filmes num telão de alta definição, que exibiu longas premiados como Ratatouille e Kung Fu Panda; na calçada ao lado, o tablado da dança chamava a atenção de curiosos com belas coreografias executadas pelas cias Roda Viva e Studio Corpo de Baile.

Mais à frente, a galeria de Arte da Assembléia Legislativa do RN convocava os visitantes a conhecer e adquirir obras de artistas potiguares, a preços bem atrativos; e na vizinhança, o sucesso do Caldeirão de Letras, que agitou o estande com excelentes bate-papos sobre cangaço e literatura no oeste potiguar reunindo expoentes como Kydelmir Dantas, Honório Medeiros, Gilbamar de Oliveira, François Silvestre, e os paraibanos Carlos Ribeiro e  cordelista Toinho de Zezé.

Ingredientes regionais na cozinha de alto padrão

Cada vez mais divertido, profissional e competitivo, o concurso do Chef Gastronômico mostrou que os novos profissionais da gastronomia potiguar estão sintonizados com a tendência de valorização dos ingredientes regionais na culinária de alto padrão, assim como vêm fazendo os grandes chefs brasileiros.

Com este pensamento, o júri da 6ª edição escolheu como prato vencedor o "Filé do Sol à chef Dantas", prato criado pelo chef Sandro de Medeiros do restaurante do Brilhante de Caicó. Criatividade, sabor e desenvoltura mostraram que o Seridó se atualiza graças às suas heranças culinárias. O 2 º lugar ficou para o experiente chef Erilson Bonifácio (do Pinga fongo), com o prato "Galette Sertanejo". Em 3º lugar, o chef Daniel Cavalcanti com o prato "Cremoso de inhame com carne de sol". Em 4º lugar, Fabiano Ferreira com a "Carne de Sol Terra". A banda de jurados foi formada pelo restauranteur Witame Gomes, Chefs César Santos, nutricionista Linda Susan, e os vencedores do festival em 2008 chefs Felipe Pessoa e Marcela Araújo.

Temas em alta 

Ser um consumidor responsável, procurar uma alimentação equilibrada e usar cada vez mais os sabores de sua região foram os temas que mais estiveram na boca e nos pratos durante os quatro dias do Festival de Martins. A chef e nutricionista Linda Susan fez a diferença e atraiu centenas de pessoas para suas oficinas de aproveitamento de alimento, consumo e alimentação responsável, e reaproveitamento de restos de alimento. Em uma de suas palestras, ela disse: "Vamos comprar só aquilo que vamos consumir hoje. Não vamos estocar comida na geladeira por semanas para depois jogar a metade no lixo". Ela lembrou que isso é uma herança dos tempos da instabilidade econômica, mas que hoje em dia são hábitos fora de moda. É preciso comprar só aquilo que vai comer.

A valorização da população local pelos seus ingredientes também foi um dos pontos das palestras de Linda Susan. Em uma de suas viagens ao interior da Paraíba - desta vez em Diamante, região de Itaporanga - Linda Susan se surpreendeu com a primeira refeição que fez na cidade: "Viajei de João Pessoa para Diamante para comer lasanha? Foi então que perguntei: o que vocês têm de mais abundante na região? Disseram-me que batata roxa e o melão, mas que o povo achava que aquilo ali era comida de porco", contou, para gargalhada geral da platéia. "Logo a batata roxa, rica em antocianinas!" disse ela. "Precisamos valorizar e comer o que é nosso".

O chef e apresentador Arthur Coelho, o showman da tenda, encerrou dizendo que "precisamos resgatar o gosto essencial da comida. Chega de tantos molhos, cremes de leite", lembrou. Os chefs Carlos Ribeiro e César Santos uniram suas forças para mostrar que a boa comida não está na sofisticação dos ingredientes, mas no modo certo de fazê-los.

Numa brincadeira entre velhos amigos cozinheiros, os convidados deram show com "os restos que sobraram dos pratos do concurso". A dupla preparou para degustação de uma numerosa plateia, escondidinho, filé do sol, purê de batata doce com manjericão, bolo de macaxeira com calda de suco de caju, guiné com angu e arroz da terra, farofa de jerimum e até carne de sol desfiada com macaxeira e gratinada levemente. "Nós nordestinos podemos não ter muito,  mas a mesa tem que ser farta. Vamos aproveitar tudo", disse o divertido chef César Santos, de Olinda.

Já Carlos Ribeiro saiu maravilhado com potes e mais potes da "Espécie de Gergelim", doce típico da região. "Vou estudar em casa sobre essa espécie de alguma coisa", disse ele, brindando o festival com a cachaça potiguar Gota Serena.  "Gostei desse nome", disse o chef.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também