Fogão

Fogão

Atualizado: Quarta-feira, 8 Março de 2006 as 12

Fogão

Uma invenção que ajudou a esquentar melhor a comida e a vida das pessoas.  

  Heloisa Fernandes

[email protected]

Durante milhares de anos, o homem cozinhou em fogueiras. No tempo dos romanos, os mais ricos começaram a cozinhar o pão em fornos de tijolos, mas as fogueiras continuaram a ser utilizadas na preparação de alimentos.

O fogão propriamente dito, ou seja, um aparelho fechado, aquecido por combustível sólido, foi usado pela primeira vez pelos colonos americanos no século XVII. Nas fundições de ferro da Pensilvânia, aproveitando-se o material, foram construídos de ferro simples, que, apesar de eficientes, ainda eram raros.

Foi só em 1798 em Munique, na Alemanha, que Benjamim Thompson conseguiu fabricar fogões sofisticados com fornos de chapa metálica envolvidos numa estrutura de tijolos. Já o missionário americano Philo Penfield Stewart registrou, em 1834, a patente do seu fogão Oberlin, um fogão de ferro a lenha com várias placas de aquecimento e um forno elevado.

Daí para frente, o fogão só evoluiu. Em 1889, foi utilizado pela primeira vez um forno elétrico, que utilizava energia de um gerador acionado por uma hidroelétrica próxima a St. Moritz, na Suíça. Em 1915, com a invenção do termostato, passou a ser possível controlar a temperatura dos fogões. E os fogões semelhantes aos que conhecemos hoje surgiram em 1924. Neste ano, o físico sueco Gustav Dalen patenteou o eficiente fogão Aga, que podia, mediante transformação, queimar lenha, carvão, petróleo e gás.

A invenção do fogão contribuiu muito para o desenvolvimento da culinária em todo o mundo. Mas isso, dependendo muito de quem estava diante deles. Afinal, nós sabemos melhor do que ninguém que, para cozinhar, é preciso muito mais do que um simples fogão. É preciso criatividade, talento, bom gosto, uma boa dose se bom senso e uma pitada caprichada de conhecimento e curiosidade.

veja também