Microondas

Microndas

Atualizado: Quarta-feira, 22 Março de 2006 as 12

Microondas

Quem diria que, um dia, ondas parecidas com as de rádio seriam tão úteis para o dia-a-dia na cozinha? Heloisa Fernandes

[email protected] As microondas utilizadas nos fornos são ondas eletromagnéticas com comprimentos de onda entre 1 mm e 1 m, quer dizer, muito próximas das ondas de rádio UHF.

Em 1946, descobriu-se que estas microondas tendem a polarizar as moléculas da água, fazendo com que elas girem, alinhando o seu eixo polar com o campo magnético. Trocando em miúdos, todo este movimento (de aproximadamente 2500 milhões de ciclos por segundo), gera calor. Como as microondas são capazes de penetrar profundamente na matéria orgânica, um alimento atingido por elas é aquecido em todo do seu volume, já que o calor é gerado em seu interior. Este aquecimento interno quase uniforme diminui consideravelmente os tempos de aquecimento. Primeiro, porque não é necessário esperar que o calor chegue ao interior dos alimentos. Segundo, pois permite o uso de potências mais elevadas sem riscos de queimar a comida. Até o final dos anos 60, a utilização de fornos microondas ainda era restrita a empresas fabricantes de refeições prontas ou preparadas. Mais ou menos nesta época, chegavam às lojas e casas americanas os primeiros modelos domésticos. Ainda um pouco grandes, desajeitados, eles foram melhorando muito com o passar dos anos, até chegarmos aos modelos de múltiplas funções como temos atualmente. E que são capazes de fazer, em minutos, coisas que demoraríamos horas nos fogões tradicionais.  

veja também