Os sabores da Bíblia - 3ª parte

Os sabores da Bíblia - 3ª parte

Atualizado: Terça-feira, 13 Abril de 2010 as 12

O Senhor ensinou, aos filhos de Israel, quais as carnes que poderiam comer. Está na Bíblia. "Entre todos os animais da terra, eis o que podereis comer: podereis comer todo animal que tem a unha fendida e o casco dividido, e que rumina. Mas não comereis aqueles que só ruminam ou só têm a unha fendida. A estes, tê-los-eis por impuros: tal como o camelo, que rumina mas não tem o casco fendido. E como o coelho igualmente, que rumina mas não tem a unha fendida; tê-lo-ei por impuros. E como a lebre também, que rumina, mas não tem a unha fendida; tê-la-ei por impura. E enfim, como o porco, que tem a unha fendida e o pé dividido, mas não rumina; tê-lo-ei por impuro. Não comereis da sua carne e não tocareis nos seus cadáveres" (Levítico 11, 2-8).

Dessas carnes, sem dúvida, a preferida era a de cordeiro. O próprio Jesus era Agnus Dei (o Cordeiro de Deus). E Deus chegou a ditar, a Moisés, o ritual do cordeiro da Páscoa: "Este mês será para vós o primeiro dos meses do ano. Falai a todo o ajuntamento dos filhos de Israel e dize-lhe que ao décimo dia desse mês, cada um deverá tomar um cordeiro por família, um cordeiro por casa... Este cordeiro será sem defeito, macho, de um ano; poderás tomar tanto um cordeiro como um cabrito. O guardareis até o décimo quarto dia desse mês, e então todos os filhos de Israel o imolarão no crepúsculo. Tomarão do seu sangue e pô-lo-ão sobre as vergas da porta das casas em que o comerem. Nessa mesma noite comerão a perna do cordeiro ou do cabrito assado no fogo com pães sem fermento e ervas amargas" (Êxodo 12, 1-8).

Depois, nas preferências celestes, vinham boi e vitelo. A volta para casa do filho pródigo, por exemplo, foi comemorada assim: "O Pai falou aos servos ...trazei um novilho gordo e matai-o; comamos e façamos uma festa. Este meu filho estava morto, e reviveu; tinha se perdido, e foi achado. E começaram a festa". (Lucas 15, 23-24). Em quase todas as passagens de solidariedade, os animais estão presentes. Como o velho patriarca Abraão, que "correu em seguida ao rebanho, escolheu um novilho tenro e bom, e deu-o a um criado que o preparou logo. Tomou manteiga e leite e serviu aos peregrinos juntamente com novilho preparado, conservando-se de pé junto deles, sob a árvore, enquanto comiam" (Gênesis 18, 7-8).

Aves também são vistas nas escrituras sagradas: pombo, codorna, galinha, ganso, pato e perdiz. Elas e seus ovos. Como também lá estão as proibidas: "A águia, o falcão, o abutre, o milhafre (mais conhecida hoje como águia de asa redonda)... e toda espécie de corvo, avestruz, andorinha, gaivota, gavião, mocho, coruja, íbis, cisne, pelicano, alcatraz, cegonha, garça, poupa e morcego" (Levítico 11, 14-19). Insetos, apenas "aqueles que, além de seus quatro pés, têm pernas para saltar em cima da terra. Eis pois os que podereis comer: toda espécie de gafanhotos, assim como as variedades de solam, de hargol e de hagab (insetos que já não se vê)" (Levítico 11, 21). Peixes sim, mas apenas aqueles "que têm barbatanas e escamas" (Levítico 11, 9), e só para os que moravam nas margens do mar Mediterrâneo, do rio Jordão ou dos lagos do Norte. Provavelmente porque, sem as técnicas modernas de conservação dos alimentos, não era àquela época possível transportar peixes por longas distâncias.

A cozinha da Bíblia se fazia com grande quantidade de ervas - aipo, anis, chicória, coentro, cominho, endro, hissopo, hortelã, mostarda, salvia, tomilho. Trazidas em caravanas da Índia e da Península Arábica. Legumes também, sobretudo secos, por serem mais fáceis de conservar. E arroz - que, além de acompanhar pratos, era usado na fabricação de vinho, cerveja e vinagre. Azeite, usavam de oliva. Do leite de cabra, ovelha e vaca, faziam queijos frescos e secos (conservados no sal), e do mel de abelha faziam uma espécie de torta - "era branca e tinha o sabor de uma torta de mel" (Êxodo 16, 31).

RECEITA: CORDEIRO AO MEL

INGREDIENTES: 2 kg de carré de cordeiro cortado em pedaços, sal, pimenta, 6 colheres de sopa de azeite de oliva, 1 cebola picada, 1 pimentão verde picado, 1 colher de chá de páprica doce, 1 copo de vinho branco seco, 4 colheres de sopa de mel, folhas de hortelã.

PREPARO:

- Tempere o cordeiro com sal e pimenta. Aqueça o azeite na panela de pressão e refogue o cordeiro até dourar.

- Junte cebola e pimentão. Refogue por 5 minutos. Junte também páprica e vinho. Tampe a panela e cozinhe por 30 minutos.

- Retire a panela do fogo, espere perder a pressão, retire o cordeiro.

- Ao molho que ficou na panela, adicione mel e cozinhe por 3 minutos. Passe esse molho na peneira. Regue o cordeiro e sirva, decorado com folhas de hortelã.

Lecticia Cavalcanti coordena o caderno Sabores da Folha de Pernambuco, escreve na Revista Continente Multicultural e no site pe.360graus.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também