Pad Thai: é fritar, mexer e comer

Pad Thai: é fritar, mexer e comer

Atualizado: Terça-feira, 27 Abril de 2010 as 12

Nos últimos 20 anos mais ou menos, o pad thai, praticamente desconhecido nos Estados Unidos, tornou-se um prato básico para consumir no restaurante e para levar.

É fácil ver por que: a massa crocante, de sabor penetrante, ligeiramente adocicada, é irresistível. Mas é difícil compreender por que tão pouca gente faz esse prato em casa, porque o pad é essencialmente uma fritada (na Tailândia, o consideram um prato de macarrão chinês). Tudo que você precisa fazer é picar alguns legumes e mexer, e fica pronto em menos de meia hora.

Dois dos seus ingredientes talvez não sejam familiares. O primeiro é o próprio macarrão: espaguete de arroz, de uma cor pálida, translúcida, achatado, com largura variando de muito fina a mais de 6 milímetros. Ao contrário da massa comum, esse macarrão não precisa ser fervido; é coberto por água fervente, com o fogo desligado, até amolecer.

Enquanto isso, faça um molho com pasta de tamarindo, hoje fácil de encontrar. A pasta, feita com a polpa do fruto, é muito ácida, mas mais complexa do que a cítrica; molho de peixe (nam pla) é outro ingrediente importante; feito de anchovas fermentadas, tem um cheiro pouco atraente, mas um gosto fabuloso. Para completar, acrescente mel e vinagre de arroz.

Outros ingredientes são bastante flexíveis: os mais comuns são o repolho (é ótimo, mas outros vegetais são perfeitamente aceitáveis)e brotos de feijão. Quanto às proteínas, camarão e tofu são a combinação mais comum, mas pode-se usar também frango, ou apenas mais um ovo.

Quando o macarrão estiver embebido e o molho pronto, o que resta é misturar e fritar. É tão fácil e rápido que o pad thai poderá se tornar um favorito absoluto.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também