Pesquisadora resgata receitas em História dos sabores pernambucanos

Pesquisadora resgata receitas em História dos sabores pernambucanos

Atualizado: Quinta-feira, 20 Agosto de 2009 as 12

Com um pé na tradição e outro na modernidade, Maria Lecticia Monteiro Cavalcanti cultiva uma estreita relação com a culinária pernambucana. "Em minha casa, sempre recebi as pessoas com pratos nossos e não com receitas estrangeiras, como estrogonofe ou torta safo. Prefiro dar uma nova leitura ao tradicional carneiro, preparando a costeleta com farofa de ervas e depois colocando para gratinar. É preciso perpetuar nossas raízes, sem ficar engessado. É válido usar o tradicional e dar a ele uma nova organização", ressalta ela.

A pesquisadora pernambucana lança hoje, às 18h, no Museu do Estado de Pernambuco, uma publicação que condensa parte destes estudos, aos quais ela sempre se dedicou com afinco - na teoria e na prática: História dos Sabores Pernambucanos. Com 359 páginas, em papel couché, e projeto gráfico da Z.diZain Comunicação, o livro pode ser considerado um objeto de arte. Resulta de uma parceria entre o Sebrae e a Fundação Gilberto Freyre, dentro do projeto Roteiro Integrado da Civilização do Açúcar.

"No começo, fazia apenas fichas das receitas, coletava e colecionava informações. Um amigo da família, Mário Hélio, me convidou para escrever uma coluna mensal sobre o tema, na Revista Continente. Foi uma atividade à qual me dediquei nos últimos 10 anos, só parei há poucos meses. Não sabia que a vida me levaria por este caminho do livro", revela Maria Lecticia, que vem se dedicando a organizar a nova publicação há três anos e também assina, semanalmente, uma outra coluna de culinária, aos sábados, no caderno Sabores, da Folha de Pernambuco.

Para ter uma ideia do talento e da entrega que a autora reserva à gastronomia, foi ela quem preparou - durante mais de um mês - cada um dos pratos representados através das belas fotografias que pontuam a publicação, em sua própria residência. As exceções são a foto da capa e da mesa de doces, feitas na sede da Fundação Gilberto Freyre, em Apipucos, com peças do acervo de lá ou emprestadas por amigas de Maria Lecticia.Ainda assim, ficou responsável pelos quitutes que nelas aparecem.

O livro é dividido em 13 capítulos, começando pelas heranças indígena, portuguesa e africana, até chegar aos tira-gostos, entradas, pratos de sustança, acompanhamentos e sobremesas. Com epígrafe de Gilberto Freyre e prefácio em tom afetivo escrito pelo marido de Maria Lecticia, José Paulo Cavalcanti Filho, onde ele explica aos leitores que sua mulher tem o dom dos cheiros e dos gostos (pois é capaz de descobrir os ingredientes na primeira prova de uma comida), História dos sabores pernambucanos se transforma num inventário bem cuidado sobre a culinária de nosso estado e seus desdobramentos. Estão reunidos desde comidas tradicionais, como a Peixada pernambucana e o Cozido, a releituras de ingredientes tradicionais, como na Galette de tapioca com sorvete.

"Tento ser bem didática e escolher receitas de fácil execução, práticas", explica Maria Lecticia, que lançou no ano passado seu primeiro livro, Negro açúcar, sobre a contribuição dos escravospara a culinária brasileira, pela Bagaço. A primeira edição do livro, com tiragem de mil exemplares, explica ela, é do Sebrae e o livro estará sendo comercializado hoje, durante o lançamento, por R$ 150. Posteriormente, Maria Lecticia deseja rodar uma edição mais simples, para que mais pessoas tenham acesso ao livro. "Quanto mais pessoas possam lê-lo, mais feliz vou ficar", destaca a autora, que no próximo mês viaja para Portugal para mais uma pesquisa, de um novo livro sobre a cultura do açúcar. Caprichosa, Maria Lecticia preparou uma mesa com doces típicos e comidas de milho, além de servir tapiocas e queijo coalho quente no lançamento.

Serviço

História dos sabores pernambucanos, de Maria Lecticia Monteiro Cavalcanti

Onde: Museu do Estado de

Pernambuco (Av. Rui Barbosa, 960, Graças)

Quando: Hoje, às 18h

Quanto: R$ 150 (no lançamento)

Informações: 2101-8423 (livraria do Sebrae, disponível a partir de segunda-feira)  

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também