Qual é a melhor tábua de corte: de madeira, de plástico ou de vidro?

Qual é a melhor tábua de corte: de madeira, de plástico ou de vidro?

Atualizado: Quarta-feira, 23 Fevereiro de 2011 as 3:56

Fazer uma comida gostosa para a família e os amigos é sempre um ritual especial para quem gosta de cozinhar. No entanto, quando o assunto é culinária, cuidados com a higiene devem entrar para a lista de prioridades.

Que tábua de corte você usa para preparar carnes, legumes e temperos - ou na hora de cortar aquele chocolate ou as frutas para a sobremesa?

Se você escolheu o utensílio de plástico, ganhou pontos.

Mas, se a tábua de madeira for o item mais utilizado em sua cozinha, está na hora de tomar medidas emergenciais e aposentá-la imediatamente.

O comércio do utensílio desse material ou o seu uso em bares e restaurantes é proibido pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Ao cortar os alimentos, é normal o fio atingir também o utensílio de madeira.

Nessas ranhuras, vão se acumulando microrganismos e restos de alimentos praticamente imperceptíveis. E é muito difícil retirá-los na lavagem.

Essas bactérias ficam ali por longos períodos e podem contaminar facilmente outros alimentos, causando doenças.

Já as tábuas feitas de plástico, vidro e polietileno são mais fáceis de lavar e de usar.

Para completar, você pode dar um toque charmoso à cozinha, com itens coloridos.

Segundo o chef Daniel Cotrim, dono do bar paulistano Serafim, a tábua de polietileno é a mais indicada.

- É a melhor. É feita de material higiênico e de limpeza fácil. Tem preço acessível, bom tamanho e durabilidade.

Saiba como lavar, secar e deixar a tábua sempre em ordem

Rose Salami, proprietária do restaurante paulistano Bambu, dá algumas dicas para conservar o utensílio em boas condições por mais tempo.

- Logo após o uso, a tábua deve ser lavada. Para durar bastante, sempre coloque o item em locais secos e nunca em lugares quentes.

No restaurante francês Freddy, o chef Pedro José de Santana conta que coloca a tábua para escorrer, depois de lavada.

Ele, então, pendura o item em um local longe da umidade para não ter problemas com bactérias e fungos mais tarde.

Rose lembra ainda que o corte de alguns alimentos requer cuidados especiais. Cenoura, beterraba e pimentão podem colorir a tábua. Por isso, lave imediatamente.

Cotrim sugere que, caso o produto fique amarelado ou surjam pontos pretos na sua superfície, o ideal é mergulhar a tábua em uma solução de cloro. Com essa medida, o utensílio pode até voltar à cor natural.

- O recomendado mesmo é ter várias tábuas para utilidades diferentes. Uma só para carne, outra para cortar uma fruta e por aí vai. Principalmente para evitar contaminação.

Ulisses Gonçalves, chef do restaurante Josephine, ensina a medida certa para a solução de água e cloro na hora de higienizar o utensílio: após o uso, mergulhe a tábua por 30 minutos em água sanitária. Para meio copo de água sanitária, coloque 2 l de água, assim, a limpeza será mais profunda.

Na hora de entrar em ação, o chef Ricardo Fittipaldi, do restaurante Colette, tem uma dica para que a tábua não escape das suas mãos: coloque um pano-de-prato debaixo dele. Assim, terá mais firmeza.

Em seu restaurante, ele criou mais um método mais seguro que você pode copiar e fazer em casa.

- Respeitamos as cores de tábuas para cada tipo de produto. Para carnes vermelhas, usamos a tábua dessa cor. A verde serve para o corte de verduras, legumes e frutas. A amarela é utilizada para corte de aves. Já a de cor azul é dedicada aos peixes e frutos do mar.

Com as dicas dos chefs de cozinha, adote os métodos, compre itens baratos, seguros e mantenha a higiene em dia.

veja também