Saiba como ter saúde no prato!

Saiba como ter saúde no prato!

Atualizado: Quinta-feira, 30 Outubro de 2008 as 12

Comer é uma coisa que costuma passar mesmo batida no nosso dia-a-dia. A correria é tanta que, no café da manhã, engolimos a primeira coisa que vemos na geladeira – ou nem isso! O almoço é um salgado comprado ali na esquina e pronto. Tudo errado! Mas,  é importante nos conscientizarmos sobre a importância da boa alimentação. Conheça, então, alguns mitos e verdades sobre os alimentos e tenha uma vida muito mais saudável!

1) Frutas do bem ou do mal?

Vítima das más línguas, o coco tem valor calórico mais elevado, mas sua água não engorda! 'No entanto, se consumido com moderação, o coco está liberado', avisa o nutrólogo Durval Ribas Filho, presidente da Associação Brasileira de Nutrologia (Abran).

O abacate, considerado uma fruta gordurosa, também caiu na crendice de que deveria ficar longe da alimentação. Mas hoje ele é, inclusive, recomendado pelos nutricionistas por ter gorduras monoinsaturadas que fazem bem ao coração e que reduzem o colesterol ruim. 'O exagero pode levar ao aumento de peso, mas, se consumido em pequenas quantidades, faz bem', garante a nutricionista Flávia Bulgarelli.

2) Azeite de oliva X manteiga X margarina

'A versão extra-virgem do azeite é a mais saudável. Recomenda-se seu uso como alternativa à manteiga e à margarina', afirma Flávia Bulgarelli. Sabe-se, agora, que margarina e manteiga estão empatadas no quesito 'mal à saúde'. 'Algumas margarinas contêm gordura trans, que entope as artérias', alerta Flávia. 'Geralmente as cremosas não contêm esse tipo de gordura, mas as lights, por incrível que pareça, sim', alerta o nutrólogo Durval Ribas.

3) A dupla de pretinhos

Acreditava-se que o café pudesse causar hipertensão e doenças do coração. Isso ainda vale para os que o consomem em muita quantidade. 'No entanto, sabe-se que a moderação faz da bebida uma aliada da saúde, principalmente do coração', enfatiza Flávia Bulgarelli. Altamente calórico, o chocolate também sempre foi visto como o vilão das dietas. Mas a grande descoberta são os benefícios do chocolate amargo, rico em substâncias antioxidantes, os polifenóis, que protegem o corpo de problemas no coração e até de câncer. O nutrólogo Durval Ribas recomenda 40 g de chocolate amargo por dia.

4) A verdade sobre o ovo

'Entre as pessoas saudáveis, o consumo de um ovo por dia não faz mal', garante a nutricionista Flávia Bulgarelli. 'Ele é um alimento nobre, com proteínas e grande quantidade de aminoácidos', completa Durval Ribas.

5) Pão integral X pão branco

Ambos têm a mesma quantidade de calorias, ao contrário do que muitos acreditam, mas a vantagem do integral é que ele apresenta mais fibras. Elas contribuem para a sensação de saciedade e melhoram o funcionamento do intestino.

6) E o macarrão?

'Comer macarrão não engorda, desde que o molho seja leve, como o molho de tomate fresco', esclarece a nutricionista Flávia Bulgarelli, que recomenda: 'Sempre acompanhe a massa com uma fonte de proteína (frango, peixe, carne, etc) e outra de fibras (verduras e legumes)'.

7) Castanhas, avelãs e amêndoas

Apesar do elevado valor calórico, são essenciais, porque contêm "gordura saudável", as insaturadas. 'Castanhas, amêndoas e avelãs ajudam a diminuir o colesterol ruim e a aumentar colesterol bom, prevenindo doenças cardiovasculares. Costumo recomendar o consumo de três unidades por dia', afirma Flávia Bulgarelli.

8) O mito da carne vermelha

Dizem que comer carne vermelha é ruim para a saúde, mas ela é muito importante no cardápio e não deve ser abolida. 'A carne contém ferro em sua forma mais fácil de absorção', afirma Ellen Simone Paiva, nutróloga diretora do Citen (Centro Integrado de Terapia Nutricional). 'Os riscos para a saúde são o fato de algumas serem fontes de gorduras saturadas e de colesterol. Nesses casos, são muito calóricas também', esclarece a nutróloga.

9) Pular refeições é uma boa forma de emagrecer

Definitivamente não. 'Permanecer em jejum por um longo período de tempo é prejudicial sob vários aspectos. Dificilmente vamos conseguir comer de forma correta na próxima refeição, uma vez que certamente estaremos com muita fome e seremos menos seletivas na escolha dos alimentos. Além disso, nosso organismo reage ao jejum com a redução do gasto calórico, dificultando a perda de peso', explica a nutróloga Ellen Paiva.

10) Comer depois de oito horas da noite engorda

Não há nenhum estudo criterioso que confirme essa idéia. 'O maior problema é o excesso de alimentos à noite e sua influência na qualidade da digestão e do sono', esclarece Ellen.

11) É preciso se forçar a beber água

É recomendado beber de seis a oito copos de 200 ml por dia, mas não adianta forçar. 'Quem pede água é o organismo', garante o nutrólogo Durval Ribas. Aliás - comemore! - beber durante as refeições não engorda, mas o excesso pode dilatar o estômago. Além disso, os líquidos ingeridos diluem o suco gástrico, deixando a digestão mais lenta. Assim, é preferível beber pouco quando se come e mais entre as refeições.

veja também