Setor de alimentação fora do lar mostra evolução

Setor de alimentação fora do lar mostra evolução

Atualizado: Quinta-feira, 24 Março de 2011 as 11:33

Em constante crescimento, o setor de alimentação fora do lar movimentou cerca de R$ 73 bilhões no ano passado. Nessa linha de desenvolvimento acelerado, a indústria nacional de equipamentos para cozinhas profissionais também vem evoluindo, em todos os sentidos. Mesmo assim, muito ainda se fala sobre as diferenças entre os produtos brasileiros e os equipamentos importados. Então, quais as principais vantagens das cozinhas industriais nacionais? Por que a nossa indústria está cada vez mais em alta?

No final da década de 90 e início dos anos 2000, fabricantes de equipamentos para cozinhas profissionais passaram a produzir com maior intensidade. Parques industriais foram modernizados e automatizados, e essas empresas começaram a investir em gestões mais eficientes e sustentáveis. Tais mudanças fortaleceram a qualidade e a rentabilidade dos equipamentos nacionais, desde a compra até o pós-venda. Diferentemente de grande parte das fabricantes estrangeiras, por exemplo, as empresas brasileiras têm a possibilidade de oferecer consultoria em produtos e instalação, ao contrário dos produtos importados que, após a venda, o cliente sofre com a assistência técnica, pagando alto preço pelas peças e componentes instalados, além de ficar condicionado a um único importador.  

É fundamental lembrar também que durante muito tempo as empresas referências no setor de cozinhas profissionais estiveram dependentes da manutenção e comercialização de equipamentos importados. Porém, após os sinais mais fortes de crescimento da industrialização brasileira, essas organizações acompanharam a evolução e reestruturaram suas linhas de produção, instalaram novos componentes eletrônicos e modernizaram os processos produtivos.

Hoje, os investimentos em novas tecnologias e designs modernos tornam esses equipamentos cada vez mais atraentes. Combinada também com a alta produtividade, ganha importância, sem dúvida, a relação próxima com os consumidores. Esse é outro diferencial das cozinhas nacionais, que também trazem consigo originalidade, adicionando novas tendências ao mercado, além das oferecidas pelos equipamentos produzidos no exterior. O fato é que a indústria nacional já atinge com satisfação o grau de exigência dos clientes da alta gastronomia brasileira, celeiro de chefs capacitados para pratos sofisticados.

A expectativa, para os próximos anos, é de que a importância das cozinhas profissionais ganhe mais força, principalmente por conta do turismo que acompanhará a realização da Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016, eventos que movimentarão mais de R$ 100 bilhões em investimentos no o setor de alimentação fora de casa. Sendo assim, para continuar em alta e receber mais confiança de grandes restaurantes e bares, os fabricantes de equipamentos para cozinhas industriais precisam e também prometem manter o bom ritmo de produção, a qualidade e o design diferenciado, aspectos que evidenciam e consolidam cada vez mais os valores da indústria nacional no segmento gastronômico.

veja também