Suspiros de amêndoas colorem as docerias

Suspiros de amêndoas colorem as docerias

Atualizado: Segunda-feira, 30 Agosto de 2010 as 10:08

Quando o assunto é doces, o país pioneiro na patisserie, a França, não poderia ficar de fora. De lá vem a tarte tatin, o crème brûlée e o petit gâteau. Agora é a vez do macaron (ou macarron), que chegou para colorir as vitrines das docerias.

Trata-se de uma espécie de suspiro feito com farinha de amêndoas. O docinho mais parece um bem-casado, crocante por fora e macio por dentro. Segundo o livro Gastronomia no Brasil e no Mundo, de Guta Chaves e Dolores Freixa (ed. Senac, R$ 42), o nome original era maccharone e chegou à França com a comitiva de Catarina de Médicis, a aristocrata florentina que regeu o país no século 16.

O macaron fazia muito sucesso na corte do rei Luís 16 e era um dos preferidos da rainha Maria Antonieta. A receita original é recheada com nozes e ganache, mas no Brasil, já ganhou versões variadas. A patisserie Mara Mello, em São Paulo, aposta nos sabores clássicos de framboesa, pistache, chocolate e gianduia. As cores chamativas ficam por conta dos corantes.

Outra doceria, a Folie, também em São Paulo, foi mais além e conta com 28 tipos da delícia, que vão desde os clássicos às misturas ousadas, como  limão com manjericão e maçã verde com violeta, passando por criações inspiradas em bebidas, como o Gim tônica com crispes, que estoura na boca, licor Baileys e chá verde.

Por: Helena Dias

veja também