40 anos: e agora? É hora de cortar o cabelo?

40 anos: e agora? É hora de cortar o cabelo?

Atualizado: Sexta-feira, 1 Outubro de 2010 as 9:51

Não é de hoje que a mulher sente uma imensa pressão sobre sua aparência. Cuidar do corpo, da pele e dos cabelos sempre foi um comportamento comum ao ser humano. Muito antes de Cleópatra, esses hábitos já eram amplamente conhecidos. Pois com o passar dos séculos, cuidar da beleza parece que se tornou algo proibido. Até voltar com força total já na história recente do mundo. Todo esse papo para entrarmos no ponto central: se buscar a beleza é tão comum no comportamento do homem, por que nos sentimos inclinadas a ceder às pressões sociais e jogar a toalha com a chegada dos 40?

Parece que do dia para a noite, a mulher, que era tão cobrada por uma aparência impecável, é levada a acreditar que os "40 anos" exigem dela uma cara mais madura, acompanhada por cabelo curto e maquiagem neutra em tons pastéis. Precisa ser assim? Vamos aos pontos. 40 anos é pouco, muito pouco diante da expectativa crescente. Hoje, uma pessoa com 40 anos viveu metade da vida, isso se pensarmos a curto prazo. Então, abrir mão da estética e do comportamento jovem tão cedo não faz sentido algum. Outra coisa: cada mulher sabe o peso dos anos sobre si. Algumas mulheres ficam bem em ver as primeiras ruguinhas e fios brancos. Outras procuram anti-rugas, frequentam dermatologistas, vão à academia, cuidam do cabelo e chegam aos 40 a todo vapor.

Ou seja, abrir mão do cabelo longo e sensual só é necessário para quem acha que é, para quem vai se sentir melhor assim. Caso contrário, esqueça a tesoura. "O cuidado é ficar atenta ao envelhecimento do fio, que perde o movimento, a cor e um pouco da textura. Então, dependendo da qualidade do fio, talvez seja bom deixar na altura do ombro. Se a sobrancelha perdeu a cor e a pele ficou mais manchada, ai clarear ajuda muito a rejuvenescer porque marca menos as imperfeições", diz o cabeleireiro Denylson Azevedo, do salão Theo Carias.

Já Augusto Henrique, do Franck Provost Brasil, concorda com a perda da qualidade do fio como fator decisivo para cortar ou não os fios. "Indico para mulheres com 40 anos ou mais que deixem os cabelos mais curtos e mais claros porque o loiro disfarça as linhas de expressões e o curto rejuvenesce. O cabelo branco não tem pigmentação por isso tem um aspecto ressecado. Com um bom corte, mais curto e mais claro, fica elegante e mais jovial", diz.

Pronto, agora a análise é sua. Mas é uma questão de necessidade e não de cobrança externa, certo?

Não é de hoje que a mulher sente uma imensa pressão sobre sua aparência. Cuidar do corpo, da pele e dos cabelos sempre foi um comportamento comum ao ser humano. Muito antes de Cleópatra, esses hábitos já eram amplamente conhecidos. Pois com o passar dos séculos, cuidar da beleza parece que se tornou algo proibido. Até voltar com força total já na história recente do mundo. Todo esse papo para entrarmos no ponto central: se buscar a beleza é tão comum no comportamento do homem, por que nos sentimos inclinadas a ceder às pressões sociais e jogar a toalha com a chegada dos 40?

Parece que do dia para a noite, a mulher, que era tão cobrada por uma aparência impecável, é levada a acreditar que os "40 anos" exigem dela uma cara mais madura, acompanhada por cabelo curto e maquiagem neutra em tons pastéis. Precisa ser assim? Vamos aos pontos. 40 anos é pouco, muito pouco diante da expectativa crescente. Hoje, uma pessoa com 40 anos viveu metade da vida, isso se pensarmos a curto prazo. Então, abrir mão da estética e do comportamento jovem tão cedo não faz sentido algum. Outra coisa: cada mulher sabe o peso dos anos sobre si. Algumas mulheres ficam bem em ver as primeiras ruguinhas e fios brancos. Outras procuram anti-rugas, frequentam dermatologistas, vão à academia, cuidam do cabelo e chegam aos 40 a todo vapor.

Ou seja, abrir mão do cabelo longo e sensual só é necessário para quem acha que é, para quem vai se sentir melhor assim. Caso contrário, esqueça a tesoura. "O cuidado é ficar atenta ao envelhecimento do fio, que perde o movimento, a cor e um pouco da textura. Então, dependendo da qualidade do fio, talvez seja bom deixar na altura do ombro. Se a sobrancelha perdeu a cor e a pele ficou mais manchada, ai clarear ajuda muito a rejuvenescer porque marca menos as imperfeições", diz o cabeleireiro Denylson Azevedo, do salão Theo Carias.

Já Augusto Henrique, do Franck Provost Brasil, concorda com a perda da qualidade do fio como fator decisivo para cortar ou não os fios. "Indico para mulheres com 40 anos ou mais que deixem os cabelos mais curtos e mais claros porque o loiro disfarça as linhas de expressões e o curto rejuvenesce. O cabelo branco não tem pigmentação por isso tem um aspecto ressecado. Com um bom corte, mais curto e mais claro, fica elegante e mais jovial", diz.

Pronto, agora a análise é sua. Mas é uma questão de necessidade e não de cobrança externa, certo?

veja também