A democracia do cabelo

A democracia do cabelo

Atualizado: Segunda-feira, 26 Setembro de 2011 as 12:58

Finalmente não há mais regras quando o assunto é beleza. Agora tudo é permitido, seja em cores, cortes ou penteados. A mulher, que conquista cada vez mais espaço na sociedade, continua usando o cabelo como identidade, mas, diferente de décadas atrás, não se identifica mais em massa, e sim em nichos.

Estamos em um momento absolutamente democrático. Veja o contraste de estilos das personagens Tereza Cristina (Christiane Torloni) e Vanessa (Milena Toscano) na novela global “Fina Estampa”. Garotas de vinte e poucos anos desfilam um chanel de bico, enquanto cinquentonas exuberantes apresentam madeixas longas com ondas sexy. É assim também na vida real.

As franjas longas e despojadas têm seu lugar e passam temporadas em evidência; são as mais adequadas e encaixam com facilidade no comprimento do cabelo, caso a mulher não queira mais. Patrícia, interpretada na trama pela atriz Adriana Birolli, representa bem isso. O cabelo longo, volumoso e ondulado cria um par fashion com a franja.

Foto: Rede Globo/Divulgação

Passamos por cerca de uma década de cabelos alisados. Em shoppings, festas ou nas ruas eu via todas as mulheres iguais. O milagre do cabelo liso começou com produtos chamados orientais – e na maioria das vezes contrabandeados e não aprovados pela ANVISA. Depois disso, vimos a chegada da febre do formol, que já regularizado em doses muito baixas passou a ser usado indiscriminadamente. O mercado de cosméticos se encarregou de criar os mais variados nomes para o procedimento: escova progressiva, regressiva, agressiva... (risos). Chega! O cabelo chapado não impera mais. É hora do cabelo natural, é hora de ter atitude.

Agora contamos com muitas opções aceitáveis. Sabrina Sato é especialista em transformações. Eu diria que ela é a embaixadora dessa versatilidade visual no Brasil. O personagem nunca sai dela, mas a humorista sempre muda de corte, cor, volume... e com bom gosto, sempre surpreendendo.

Foto: Isabelle Mani, iG São Paulo

No penteado, os descontraídos e volumosos imperam; os efeitos soltos, nuances e ondas marcam o visual. Para cortes, a tesoura acompanha o estilo, que é pessoal e intransferível. A moda é ser bela. Beleza é a minha máxima.

veja também