A depilação durante a gravidez

A depilação durante a gravidez

Atualizado: Quarta-feira, 30 Novembro de 2011 as 12:41

Se a gente sempre tem dúvida sobre os melhores e mais seguros métodos depilatórios, é fácil imaginar que, durante a gravidez, essas dúvidas se multipliquem exponencialmente. Afinal, há métodos que não são seguros para o bebê? O que se deve evitar? E quais problemas diferentes podem surgir nessa fase?

Antes de mais nada, é preciso saber que a pele de mulheres grávidas sofre alterações e, por isso, pode manchar mais facilmente. “As alterações pigmentares são uma das modificações fisiológicas mais frequentes durante a gravidez e, por ação hormonal, a pele da mulher grávida tende a manchar mais. Isso varia de acordo com a cor da pele da mulher; assim, mulheres com cor de pele mais escura tendem a manchar mais”, explica a dermatologista Simone Chindamo, da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Por isso, é bom tomar cuidado com ceras muito quentes e até com cremes depilatórios – use apenas aqueles com os quais já está acostumada.

Para garantir a segurança, faça o teste para ver se você é alérgica, ainda que já esteja acostumada – as grávidas também sofrem mais com alergias. “O importante antes da depilação é evitar o ressecamento da pele: hidratá-la antes, evitar banhos muito quentes que ressequem a pele. A temperatura da cera também deve ser adequada”, aconselha Jardis Volpe, da Clínica Volpe (SP).

“Em relação à depilação com produtos químicos, a maioria contém sulfato de bário ou tioglicolato de cálcio, e não há evidência de que esses princípios ativos possam ser prejudiciais ao feto ou a mãe na gravidez, mas também não há estudos que provem a sua segurança; logo, não são recomendados”, explica ainda Simone Chindamo.

Quem está fazendo um tratamento de depilação com laser e engravida no decorrer do período deve pará-lo imediatamente já que, segundo Simone, não há nada que comprove que o método não prejudica o feto. Volpe concorda: “Em geral eles não são usados durante a gestação, pois as grávidas já têm uma tendência natural de pigmentação da pele, e se usarmos lasers corremos riscos de manchas. A partir da lactação, um a dois meses após a gestação, as mulheres já podem usar determinados lasers, enquanto outros devem ser usados apenas 4 a 6 meses após o parto”, explica.

Para se cuidar durante a gravidez

- Durante a gravidez, não faça tratamentos com laser, já que ele pode manchar a pele, e não há evidências de sua segurança. - Fuja dos produtos com sulfato de bário ou tioglicolato de cálcio. - Cuidado redobrado com as alergias, já que as grávidas sofrem mais desse mal: nunca deixe de fazer o teste de alergia num pedacinho da pele – isso vale até para produtos que você usava antes da gravidez. - Evite a cera muito quente, que pode manchar a pele. Capriche também da hidratação, já que as alterações hormonais podem causar ressecamento.

Fonte da imagem: Yahoo

veja também