Acne não afeta somente jovens; saiba tratar

Acne não afeta somente jovens; saiba tratar

Atualizado: Segunda-feira, 12 Dezembro de 2011 as 1:55

Quem acha que acne é um problema que só afeta adolescentes está bem enganado. Apesar de ser mais comum em jovens, as espinhas podem aparecer na fase adulta e a má notícia é que acometem mais mulheres do que homens. Na adolescência, esta doença de pele compromete cerca de 80% das jovens, enquanto que na fase adulta, o número cai para 10%.

As causas, porém, são diferentes nessas duas etapas da vida. Enquanto adolescente, a acne é decorrente de predisposição genética e individual, caracterizada por pústula, que são poros de pus e cravos, além de oleosidade excessiva. No adulto, as causas mais comuns são distúrbios hormonais (principalmente de ovários e suprarrenais), uso de medicamentos, como lítio, quimioterápicos e vitaminas do complexo B, por exemplo, ou cosméticos e fatores emocionais. 

A dermatologista Patrícia Rittes explica que a principal causa da acne nos adultos é o estresse. "O estresse atinge as glândulas suprarrenais, responsável pela formação do hormônio masculino, que é liberado na corrente sanguínea e estimula a glândula sebácea", afirma a médica.

Entenda como a acne se forma

De acordo com o dermatologista Luís Torezan, diretor da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica, a acne afeta os poros por onde saem os pelos e é causada por uma hiperatividade das glândulas sebáceas. "O aumento da produção de sebo leva à obstrução dos folículos pilosos que gera o cravo. Isso causa inflamação, levando à formação das erupções próprias da acne que, num grau mais intenso, forma pequenos nódulos inflamados e avermelhados", diz o especialista.

Graus da acne:

Grau I:   caracterizada pela presença de cravos, que podem ser: microcomedão, comedão fechado (cravo branco com forma esférica) ou comedão aberto, ou seja, o cravo preto;

Grau II:   caracterizada pela presença de cravos e predomínio de pápulas, que são bolinhas vermelhas e pústulas, poros de pus. Neste grau, a intensidade das lesões é variável;

Grau III:   caracterizada pela presença de cravos, pápulas, pústulas e predomínio de cistos;

Grau IV:   é uma forma mais grave de acne, com predomínio de cistos que se comunicam, formando verdadeiros túneis de intercomunicação. Neste grau, as lesões podem atingir face, pescoço, peito e costas.

Quais os melhores tratamentos?

Os tratamentos de acne variam de acordo com a gravidade do quadro. O dermatologista Luís Torezan explica que, em geral, casos de acnes leves podem ser tratadas com sabonetes especiais, loções adstringentes e tretinoina tópica e seus derivados, como adapaleno gel. Estas substâncias diminuem a secreção de sebo e regularizam a queratinização folicular. Uma boa limpeza de pele também é recomendada.

Nos casos de acne grau II, vale associar antibióticos tópicos e anti-inflamatórios. Nas acnes mais severas, além dos tópicos, faz-se o uso, sempre que possível, da Isotretinoina oral. O medicamento atrofia a glândula, mas o uso deve ser controlado.

Para que não haja dúvida, nossa recomendação é que você procure um dermatologista. É ele que vai estabelecer o melhor tratamento, dependendo do seu caso de acne. Não passe nem tome nenhum remédio sem orientação médica.

Quais os melhores produtos e os cuidados diários para este tipo de pele?

De acordo com o dermatologista Adilson Costa, pessoas com tendência a acne devem dar preferência a produtos com base específica para pele oleosa, ou seja, gel, mousse, gel-creme e loções não oleosas.

O ideal, segundo o médico, é lavar com sabonete específico para o tipo de pele acneica, no máximo duas vezes ao dia, além de usar filtro solar oil free pela manhã. "Nunca esprema as lesões, porque podem deixar manchas na pele que serão 'tatuadas' com a exposição solar", explica o dermatologista.

Acne X Verão

O dermatologista Adilson Costa explica ainda que o calor aumenta a produção de sebo, deixando a pele mais oleosa. "A exposição solar intensa, nos primeiros dias, pode diminuir o surgimento de lesões de acne, pois o sol tem efeito imunossupressor (diminuição da resposta inflamatória) na pele, porém segue-se uma explosão de novas lesões, dias após, como resposta a tanto estímulo da glândula sebácea", afirma. O uso de produtos na pele de veículo muito oleoso pode sim, ocluir as glândulas, piorando o quadro de acne.

Por isso, a importância de proteger bem a pele com filtro solar oil-free ou em gel, ideais para a pele oleosa.

veja também