Apaixonadas por cosméticos

Apaixonadas por cosméticos

Atualizado: Segunda-feira, 5 Julho de 2010 as 10:03

É antiga a paixão por cosméticos. Do Egito Antigo vêm os primeiros registros do uso de maquiagem, quando os faraós pintavam os olhos e misturavam metais pesados para colorir as pálpebras. Ícone da beleza, Cleópatra caprichava no visual, pintando os olhos com pó de khol (ou kajal, como é conhecido) - popularmente usado como "protetor" contra doenças e até inveja. A famosa rainha ainda tomava banho de leite e fazia máscara de argila para o rosto. Na Roma Antiga, mulheres usavam máscara de farinha, miolo de pão e leite durante a noite sobre o rosto para dar um trato na pele.

Milhares de anos depois, continuamos fãs de artifícios de beleza. Temos à disposição uma magaindústria de produtos e serviços para um mercado ávido por satisfazer vaidades. E as brasileiras estão entre as que mais se preocupam com a aparência. Para se ter uma idéia, o Brasil é o terceiro maior mercado de beleza do mundo, perdendo só para os Estados Unidos e o Japão. Em 2009 foram vendidos mais de R$ 10,4 bilhões em perfumes e cosméticos no país.

A entrada da mulher no mercado de trabalho fez crescer a preocupação com a aparência. "O maior acesso à informação e o aumento da variedade de itens de beleza disponíveis tornaram as mulheres mais exigentes, preferindo produtos que aliem eficácia e praticidade", afirma Ricardo Patrocínio, diretor de Marketing da Avon Brasil. Segundo ele, como o uso de cosméticos tem forte impacto sobre a autoestima feminina, o público encara os produtos de beleza como uma necessidade e não um luxo.

Alta curiosidade, baixa fidelidade

É interessante observar a relação das mulheres com os cosméticos. Segundo estudo realizado com 1.311 mulheres entre 18 e 60 anos pela Sophia Mind, empresa de pesquisa do grupo Bolsa de Mulher, a preocupação com a beleza ou a vontade de melhorar uma determinada parte do corpo faz com que 79% delas usem produtos de beleza regularmente. O estudo mostra que 83% das mulheres estão satisfeitas com as ofertas que estão no mercado. Mas apenas 6% são fieis a ponto de não trocarem seus produtos habituais em nenhuma situação.

Segundo Ricardo Patrocínio, da Avon, a baixa fidelidade tem explicação. "As mulheres estão abertas à experimentação de marcas e de novas categorias, mas essa abertura vem acompanhada do cuidado em escolher marcas que admiram e acreditam", comenta. Para ele, um bom exemplo disso é a categoria de fragrâncias. "Os perfumes assumiram status de acessório, as mulheres têm vários, um para cada momento do dia. A escolha pode variar de acordo com o humor, as atividades, o traje e a intenção para aquele dia", observa.

Para a professora Maribel Suarez, pesquisadora da Cátedra L'Oréal de Comportamento do Consumidor e autora do livro "Tempo da Beleza: consumo e comportamento feminino, novos olhares" (Ed. SENAC), a aparência vem se tornando cada vez mais importante em nossa sociedade. "Temos uma indústria vigorosa, competitiva e crescente, que introduz novos produtos com uma velocidade muito grande. As inovações trazem outras práticas e novas formas das mulheres se relacionarem com o corpo e a beleza", afirma.

Um mundo de informação

Entre os produtos mais usados pelas entrevistadas da pesquisa da Sophia Mind estão a maquiagem, os cremes hidratantes e os produtos para cabelos. O uso varia de acordo com a idade e a renda, mas o aumento da renda familiar leva muitas mulheres a separar mais dinheiro para comprar seus cosméticos preferidos.

O gasto médio por mês, entre as entrevistadas, é de R$ 177. São bastante exigentes na hora da compra - 87% não abrem mão da qualidade e 51% levam em conta o preço. Perguntadas sobre o que fariam se a crise financeira apertasse o orçamento, elas até deixariam de ir ao salão de beleza, mas pensariam várias vezes antes de suspender a compra de seus produtos preferidos.

Antes de ir às compras, elas pesquisam. A internet e as redes sociais são consideradas importantes fontes de informação: 88% das mulheres usam a web para buscar informações sobre produtos e como utilizá-los. Para conquistar essas consumidoras altamente conectadas, as empresas de cosméticos têm investido em publicidade online, sites especiais, perfis no Twitter, no Orkut e no Facebook e em parcerias ou promoções junto a blogs especializados em beleza.

Fora da internet, as mulheres consideram outras fontes. "De maneira geral, consultam a família, as amigas, as vendedoras das lojas e alguns especialistas, como esteticistas e dermatologistas, antes de tomar alguma decisão", comenta Maribel Suarez. Dificilmente a mulherada resiste a uma opinião de celebridade, tão comum nas revistas femininas de hoje. "Além de representarem ideais de beleza, as celebridades conseguem gerar credibilidade, emoção e empatia com as consumidoras. Nesse sentido, elas são muito importantes para a indústria da beleza", ressalta a pesquisadora.

As mais lembradas

As marcas mais lembradas pelas mulheres entrevistadas pela Sophia Mind, de forma voluntária, foram divididas em três categorias. Em produtos para a pele e cabelo, as campeãs são Natura (23%), Avon (13%) e Nívea (7%). Entre as fabricantes de produtos específicos para cabelo, foram citadas Seda (11%), L'Oréal (9%) e Natura (7%). Já entre as fãs de maquiagem, as preferidas são Avon (22%), Natura (17%) e O Boticário (7%).

Uma relação emocional

Para muitas mulheres, viver sem cosméticos é impensável. Isso não se resume à manutenção da autoestima. "Os produtos de beleza vendem esperança: vencer as marcas e a marcha do envelhecimento e a possibilidade de construir o próprio corpo", comenta a pesquisadora da Cátedra L´Oréal de Comportamento do Consumidor Maribel Suarez. Para ela, ser bela não é mais a fatalidade de nascer ou não bonita, mas uma escolha em que se faz uso dos cosméticos para alcançar a beleza. "Através da nossa aparência dizemos para os outros e para nós mesmas que estamos no controle".

Entre as fontes de informação acessadas pelas apaixonadas por cosméticos reinam os blogs de beleza. No Brasil há centenas deles. São mulheres de todas as idades e classes sociais que mostram seus produtos preferidos, o esmalte novo da semana, o produto para cabelo testado e, claro, muita maquiagem. As empresas de cosméticos, de olho na influência dessas moças sobre as consumidoras, já estão apostando em parcerias e, inclusive, antecipando a elas novidades que ainda não estão no mercado.

As blogueiras são criativas: fazem vídeos com tutoriais, mostram fotos das últimas novidades, publicam enquetes, lançam promoções e até marcam encontros especiais para trocar idéias e produtos. Um dos mais famosos da rede, considerado referência entre as apaixonadas por maquiagem, é o Dia de Beauté), da jornalista Victoria Ceridono, cujos posts chegam, algumas vezes, a ter 200 comentários.

O Bolsa de Mulher conversou com três blogueiras, confira:

Claudia Stoco, 22 anos, estudante, do blog Claudinha Stoco

"Estou sempre atrás de novidades, especialmente sombras e máscaras para cílios. Em média, gasto R$150 mensais com cosméticos e uso muita internet para me informar. Em meio a tantos produtos, é difícil ser fiel a alguma marca. A única que compro sempre é a Tutanat, que tem produtos ótimos para o cabelo. Nunca cheguei a fazer loucuras para comprar algum cosmético, compro o que realmente preciso e gosto de acordo com o dinheiro que tenho. Para mim, a maquiagem faz a mulher se sentir bem e mais poderosa. Sem falar que alegra o dia de qualquer uma".

Marina Bollmann Fabri, 24 anos, jornalista, do blog Coisas de Diva

"Adoro batons e sou fanática por máscara de cílios, estou sempre testando várias e até misturando para dar um resultado legal. Todo mês compro uma coisinha, nem que seja um esmalte. Se estou com menos dinheiro, não compro. Costumo ser fiel a algumas marcas, como MAC, Johnson´s, Avon e Natura, pela qualidade e pela variedade de produtos. Mas isso não me impede de experimentar outras marcas. Como boa fã de cosméticos, vivo em busca de novidades em blogs e revistas. Quando quero uma coisa, sou persistente. Já procurei desesperadamente vários produtos, como o batom Snob, da MAC. Procurei em todos os sites de vendas, esperando chegar, até conseguir".

Taiana Rocha, 26 anos, assistente financeiro, do blog Louca por Cosméticos

"Amo todos os tipos de cosméticos. Meu coração é que nem de mãe: sempre tem espaço para mais um. Gosto muito de xampus, cremes, esmaltes, maquiagem e compro alguma coisa pelo menos uma vez por semana. Algumas marcas moram no meu coração, como a linha capilar da L´Oréal - Absolut Repair, os shampoos da Pantene, as maquiagens da Maybelline e da MAC.

Já fiz muita loucura por cosmético. Já parcelei em dez vezes, me endividei por causa deles, deixei de almoçar para comprar um hidratante. Quando era mais nova, andava cerca de 14 km para ir e voltar do colégio só para guardar o dinheiro do ônibus com a finalidade de comprar algum produto. Gosto muito da sensação de bem-estar que eles proporcionam, dá uma levantada na autoestima. Acho que só mesmo sendo mulher para entender esse amor que temos pelos cosméticos!".

Por: Ana Luiza Silveira

veja também