Aprenda a se prevenir das temidas estrias

Aprenda a se prevenir das temidas estrias

Atualizado: Quarta-feira, 17 Agosto de 2011 as 1:09

  Quem é que não esticou um elástico até que o mesmo arrebentasse em suas mãos? Com esta brincadeira, percebe-se que existem elásticos diferentes e com capacidades distintas para esticarem.

Nossas fibras elásticas também são assim, providas geneticamente de um grau de elasticidade. Quanto mais flexíveis elas forem, menor é a chance de apresentarmos estrias. Estrias são incômodos que aparecem em qualquer pessoa, seja ela homem ou mulher, basta  haver  o aumento de tamanho da pele -engordar - a mais do que as suas fibras elásticas puderem agüentar.

Ao chegarmos na adolescência, as estrias podem aparecer em várias áreas, sendo mais comum nos seios, nádegas, quadril, coxas, abdômen, braços, pernas e, às vezes, nas costas. Isso acontece devido ao aumento de tamanho dessas regiões que faz parte da transformação do corpo.

Nestes casos, não há muito que fazer, visto que não se pode impedir o crescimento, porém é preciso ter em mente que qualquer aumento, além do normal, pode acarretar no aparecimento de mais e mais estrias. Existem motivos dos mais diversos para o aparecimento, podendo ser um aumento rápido de peso, um grande acréscimo de massa muscular em pouco tempo, alterações hormonais, como gravidez, ganha e perde de peso constante, obesidade, entre outros.

Por ser resultado da ruptura das fibras elásticas, a estria é uma cicatriz, e como tal, não desaparecerá mais. Podemos realizar uma série de tratamentos com o intuito de diminuí-las, torná-las menos visíveis, mas jamais eliminá-las de forma definitiva.

O jeito, então, é preveni-las. E como é que conseguimos isto? É muito fácil de se dizer, nem sempre fácil de se executar. A única forma de prevenção é NÃO ENGORDAR .

Não adianta lambuzar o corpo todo com óleos e cremes, se você engordar, aumentam suas chances de aparecerem.

A gravidez é outro ponto de preocupação, porém abdômen tem fibras com elasticidade diferente, justamente para proteção da pele. Por isso, o que eu sempre aconselho às minhas pacientes é: fiquem apenas grávidas. Todos os cremes existentes no mercado têm sua ação duvidosa, pois nada mais é que uma hidratação profunda que previne o mal, mas não o ameniza. Em casa, segundo o médico, independente do sexo ou de gravidez, manter a pele hidratada com produtos que contenham amêndoa, por exemplo, e a ingestão de água é fundamental para a prevenção.

Atualmente, o melhor resultado em tratamento é aplicação de peelings químicos com cosméticos à base de ácido retinóico e em consultórios com o acompanhamento médico.   

veja também