Aprenda como acabar com as unhas fracas e quebradiças

Aprenda como acabar com as unhas fracas e quebradiças

Atualizado: Quinta-feira, 11 Agosto de 2011 as 10:48

As brasileiras adoram estar com as unhas sempre coloridas e seguem as tendências da moda. Mas não é só com a beleza que elas devem se preocupar. As unhas são uma parte do corpo que merece muitos cuidados e atenção. Algumas mulheres, por exemplo, sofrem com unhas fracas e quebradiças que dificultam na hora de passar esmalte.

No entanto, há hoje no mercado uma série de produtos que ajudam a combater esse tipo de problema como fortalecedores e endurecedores de unhas. Para a dermatologista da Universidade Estadual de São Paulo, Alessandra Haddad, é preciso ter cautela na hora de optar por endurecedores.

Eles ajudam a aumentar a força das unhas quebradiças, porém, devem ser usados com cuidado, já que o componente principal do produto, o formaldeído, que se usado em concentrações muito altas - acima de 10%, por exemplo - pode ser prejudicial à unha e danificá-la.

Unhas fracas, em alguns casos, podem ser sinônimos de problemas de saúde. Geralmente unhas com fungos ficam com aspecto poroso e podem sofrer alterações de cor. Outras manifestações são as unhas quebradiças e finas que dobram com facilidade. Sulcos ou rachaduras também podem ser indicações de problemas à vista. Mas segundo a dermatologista, os motivos mais comuns para o enfraquecimento das unhas é a falta de vitaminas, principalmente dos tipos A e B e dos sais minerais como zinco, iodo e ferro. Além disso, algumas doenças como alteração de tireoide e anemia podem causar esse efeito.

O tempo em que o esmalte fica sobre as unhas também deve ser analisado. Há um certo período permitido antes que cause problemas de saúde. É o que diz Robertha Nakamura, coordenadora do C.E.U. (Centro de Estudos da Unha) do Instituto de Dermatologia Professor Rubem David Azulay e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

- O ideal é que fiquem sete dias nas mãos e até 15 dias nos pés. O esmalte de cor vermelha e os mais escuros penetram na unha deixando-as com uma tonalidade amarelada quando usados por muito tempo e por repetidas vezes.

Outro grande inimigo é a acetona. Este composto químico desidrata as unhas, o que pode facilitar e colaborar para o enfraquecimento. Mas já são comercializadas opções de removedores de esmalte sem acetona, acrescenta doutora Robertha.

- O removedor de esmalte já possui menos quantidade de acetona, mas atualmente existem os removedores sem acetona que podem ser encontrados em qualquer farmácia.

Cuide bem das cutículas

Uma das grandes dúvidas das mulheres é em relação a cutícula. Afinal de contas, é melhor mesmo não retirá-las com alicate e apenas se livrar do excesso de pele?

Neste quesito, as duas dermatologistas são categóricas: a cutícula serve como um protetor das unhas e ao retirá-la o organismo fica mais exposto a fungos e a diversos tipos de bactérias. Por isso, doutora Robertha explica que o grande número de doenças de unha no Brasil é resultado do hábito da mulheres de retirar a cutícula.

Nos Estados Unidos e na Europa, os agentes de saúde que cuidam das unhas, podólogos, manicures e pedicures não fazem esse tipo de procedimento.

O indicado é usar cremes que removem apenas o excesso de cutícula, sem tirar a proteção natural das unhas. Como explica doutora Alessandra:

- O manuseio deve ser feito com removedores de cutículas que dissolvam o excesso de tecido na placa das unhas. O produto deve ser aplicado com algodão. Profissionais da área de saúde não devem remover a cutícula para não aumentar o risco de infecção.

veja também