"As pessoas não se conformam que é possível ser gordinha e sexy", diz a Top Fluvia Lacerda

"As pessoas não se conformam que é possível ser gordinha e sexy", diz a Top Fluvia Lacerda

Atualizado: Quarta-feira, 19 Maio de 2010 as 10:45

O nome dela ainda é desconhecido no Brasil, mas em Nova York - onde mora há 13 anos - Fluvia Lacerda (29) é considerada a Gisele Bündchen da moda para gordinhas. Modelo plus-size há seis anos, ela é a voz dissonante entre as milhares de modelos magérrimas que ilustram os editoriais de revistas. “Faço muito sucesso internacionalmente, mas aqui ainda escuto de editoras de moda que jamais me colocariam num editorial por eu não representar as leitoras das revistas”, reclama Flúvia, que tem 1m72 de altura e manequimm 48.

Desde que virou estrela de campanhas plus-size nos Estados Unidos e na Europa, esta é a segunda vez que Flúvia volta ao Brasil para levantar uma bandeira ainda pouco defendida: a do direito das mulheres gordinhas de ter escolha na hora de se vestir. “Sou tamanho 48 e lá fora posso escolher peças de estilistas famosos, roupas bem estruturadas e de diversos tecidos. Aqui só encontro roupas de malha”, diz.

Casada com um australiano e mãe de uma menina de nove anos, Fluvia esbanja beleza e saúde. Muito à vontade no corpo que tem, já encarou ensaio sensual e faz a linha sexy chique em suas campanhas . “As pessoas se espantam porque não estão acostumadas com gordinhas sensuais”, brinca a moça.

Engajadíssima na causa, Fluvia faz questão de esclarecer o conceito de plus-size, bastante distorcido pelo mundo da moda. “Plus-size é a referência para as pessoas que usam tamanhos maiores. Uma modelo tamanho 38, 40 ou 42 não representa a mulher mais gordinha. Isso confunde as consumidoras”.

Por: Debora Rocha

veja também