As plásticas na adolescência

As plásticas na adolescência

Atualizado: Quarta-feira, 27 Julho de 2011 as 11:51

A procura por cirurgias plásticas aumentou consideravelmente nos últimos anos e atrai cada vez mais o público jovem. De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), entre setembro de 2007 e agosto de 2008, foram realizadas aproximadamente 629 mil plásticas estéticas em todo país, todas por profissionais especializados. As plásticas em adolescentes - entre 14 e 18 anos - representam pelo menos 13% desse total, ou seja, mais de 100 mil jovens se submeteram a algum tipo de intervenção estética no período analisado.

Constatamos que na lista dos procedimentos mais procurados por este público estão a rinoplastia (plástica de nariz), a mamoplastia redutora (diminuição das mamas), a mamoplastia de aumento (prótese de silicone), a lipoaspiração, a correção de orelhas de abano (otoplastia) e a ginecomastia (correção do volume das mamas masculinas).

Entre os motivos que levam ao aumento da procura dos jovens pela cirurgia plástica estão a valorização da estética, o desenvolvimento de novas técnicas, que faz com que a recuperação e o ato cirúrgico sejam mais seguros, e a "necessidade" que o jovem tem de se enquadrar aos padrões estéticos predominantes na sociedade.

É preciso considerar que a adolescência é um período marcado por diversas mudanças psicológicas, físicas e comportamentais. Daí a importância de se procurar o cirurgião plástico, pois ele é capaz de detectar as reais motivações que levam os jovens a procurar pela cirurgia. É fundamental que o profissional avalie a maturidade emocional e física do paciente, e explique a ele todos os passos da cirurgia, assim como possíveis complicações que podem advir da cirurgia.

A meu ver, essa procura dos adolescentes pela cirurgia plástica é bastante salutar, desde que eles estejam esclarecidos e preparados para todos os procedimentos cirúrgicos que terão de enfrentar, como a internação, a anestesia, as cicatrizes, os medicamentos, o repouso no pós-operatório e os resultados esperados.

É importante destacar que a opção pela plástica deve ser decidida pelo paciente, juntamente com a orientação do médico, e com o consentimento dos pais. A cirurgia deve ser procurada se esse jovem já não consegue conviver com o problema, se esse problema já está interferindo na sua autoestima ou se não conseguiu resolver o que o incomoda por outros meios.

Há casos em que a plástica na adolescência e até mesmo na infância se faz necessária, como por exemplo, quando se tem orelhas de abano, que podem ser corrigidas a partir dos sete anos de idade, que é quando a cartilagem da orelha está completamente formada. Já quando o assunto é puramente estético, é importante que o cirurgião plástico converse com os pais e principalmente com o adolescente.

Portanto, seja para saciar o ego ou para se livrar de um trauma, o uso do bom senso continua sendo o principal aliado dos adolescentes na hora de escolher fazer uma cirurgia plástica.

veja também