As sobreposições

As sobreposições

Atualizado: Sexta-feira, 9 Setembro de 2011 as 8:22

A Mercedes-Benz Fashion Week, semana de moda de Nova York, começou oficialmente nesta quinta-feira (08) com os estilistas apresentando muitas sobreposições, tecidos leves, fluidos e transparentes e peças confortáveis. A tendência art déco - movimento em que predominam as linhas retas ou circulares estilizadas, as formas geométricas e o design abstrato -, também esteve nas passarelas do primeiro dia. Nas cores, as tonalidades vivas dividem a atenção com tons neutros e básicos.

Entre as principais grifes apresentadas no primeiro dia, a BCBGMAXAZRIA apostou na geometria das estampas e dos cortes, inclusive com recortes e vazados em locais estratégicos, como pernas, ombros e decotes. A grife trouxe uma suavidade minimalista carregada de linhas diagonais e assimétricas e cores bem fortes, seguindo a tendência color blocking. Além de cores mais básicas, como cinza-claro, preto e marrom, a marca mostrou um patchwork de texturas, cores e estampas - algumas com toque étnico.

Nicholas K também usou e abusou de roupas fluidas, assimétricas e sobrepostas, com babados e movimentos, que traduzem uma moda jovem e urbana. Os complementos nos pés, com sandálias pesadas lembrando coturnos, imprimiam a mistura de pesos entre as peças. Os tons mais escuros e fechados, com algumas pinceladas de verde, dominaram a apresentação, tanto na linha masculina quanto na feminina.

O verão 2012, que começa a ser proposto nas passarelas americanas nesta semana, parece incentivar mesmo as sobreposições. No desfile de Richard Chai, a moda jovem do estilista trazia muitas sobreposições com estampas floridas e cores mais alegres, como azul, verde, violeta e coral, e sóbrias, como preto, branco e cáqui. Vale usar saias curtas sobre calças mais largas, misturando estampas e cores.

Para os meninos, uma moda descontraída, com camisetas sobre camisas, bermudas e calças confortáveis.

Os ombros parecem ser o ponto alto da temporada, seja com recortes e costuras que favorecem a região, seja com peças mais estruturadas e imponentes. Mas nada como as famigeradas ombreiras dos anos 80, que tentaram voltar há algumas temporadas e não fizeram muito sucesso. Valem construções que garantam efeitos diferentes a essa parte do corpo, como fez a grife Supima.

É cedo ainda para falar de tendências. Por enquanto, as passarelas de Nova York ofereceram apenas um leve aperitivo sobre o que vestir nos dias mais quentes. Mas já dá para perceber que a descontração e o conforto prometem ser o grande trunfo da próxima estação.

veja também