Botox: tudo sobre o tratamento

Botox: tudo sobre o tratamento

Atualizado: Terça-feira, 29 Março de 2011 as 9:24

Quase 20 anos se passaram desde que o Botox aterrissou em solo brasileiro. É hora de fazer um novo balanço: avaliar o quanto o tratamento evoluiu, se é mesmo seguro, saber mais sobre sua aplicação para fins terapêuticos e tirar, de uma vez por todas, as dúvidas sobre seu uso em procedimentos estéticos. É isso o que a gente traz pra você.

Por que as rugas aparecem?

"As rugas se formam devido a vários fatores. O principal é a diminuição de fibras de colágeno na derme, assim como a de ácido hialurônico e glicosaminoglicanos", explica a dermatologista Dra. Angela Billota, do Rio de Janeiro. Essas substâncias de nomes esquisitos estão presentes na derme e sustentam a epiderme, camada mais externa da pele. A partir dos 20 anos, começa a haver uma diminuição dessas substâncias, a camada superior da pele perde sustentação e se formam sulcos e rugas. "Esses fatores tornam mais fácil o surgimento de linhas de expressão, linhas do travesseiro e linhas pelo efeito da gravidade. As linhas de expressão são geralmente bilaterais, podendo, no entanto, ser mais proeminentes do lado em que a contração muscular é mais vigorosa. Já as marcas de travesseiro são unilaterais", complementa a médica. "Além destas razões, há também a questão da contratura do músculos que deixa a aparência de 'sobra' na pele", diz o Dr. Sérgio Antônio Zilio, cirurgião-plástico e médico da Estética Onodera.

O que é o Botox?

"Botox é o nome comercial da Toxina Botulímica, toxina que é produzida por uma bactéria e que paralisa a musculatura onde é aplicada. Assim, não há contração da musculatura e, consequentemente, não há formação de rugas", esclarece o Dr. Sérgio.

Quando o Botox pode ser usado?

Quando as rugas e linhas de expressão começam a incomodar. Ou seja, não há uma regra. Ele pode ser aplicado no momento em que a pessoa desejar. É bom lembrar somente que seu efeito final é percebido depois de duas semanas. Por isso, nada de marcar a aplicação para o dia da sua festa tão esperada.

A injeção de Botox dói?

Geralmente não. Apenas em alguns pontos elas podem ser um pouco incômodas, mas pacientes mais sensíveis podem usar pomada anestésica tópica.

Onde o Botox pode ser injetado?

"Nas linhas da testa, glabela (área entre as sobrancelhas), pés-de-galinha, linhas do pescoço, base do nariz (para arrebitar a extremidade). Já a aplicação na boca requer muito cuidado porque pode ocorrer desvio labial", diz a Dra. Angela.

O Botox afeta outras expressões faciais ou cria insensibilidade?

A toxina atua apenas na musculatura, por isso não causa qualquer alteração de sensibilidade. Quanto a possíveis deformações, é sempre bom lembrar que o tratamento requer habilidade e, por isso, deve ser feito somente por médicos confiáveis. "Se for usado de maneira incorreta, pode propiciar expressões bizarras", afirma o Dr. Sérgio. Saiba também que, após a aplicação, deve-se ficar quatro horas sem abaixar a cabeça ou massagear o local.

Quanto tempo dura o resultado do tratamento?

Em média, 6 meses.

O Botox é seguro?

"Sua aplicação deve respeitar algumas técnicas e o médico deve conhecer bem a anatomia da área tratada. É importante avaliar a força do grupamento muscular antes de realizar a aplicação para se ter a ideia de quantas unidades devem ser aplicadas para paralisar esse músculo. A dose utilizada é bastante segura. Para fins estéticos são usadas geralmente de 15 a 50 unidades, enquanto que na neurologia se usam doses com 1.200 unidades da toxina. A dose letal equivale a cerca de 40 unidades por quilo", explica a Dra. Angela.

Há contra-indicações?

O Botox deve ser evitado em gestantes e lactentes, portadores de doença neuromuscular, pessoas com alergias aos componentes da fórmula, com infecções no local da aplicação, com distúrbios de sangramento ou que estejam fazendo uso de antibióticos aminoglicosídios.

Como se dá o uso de Botox em tratamentos que não sejam estéticos?

O Botox pode ser usado para tratamento de hiperidrose (casos de transpiração excessiva nas axilas, mãos ou pés), estrabismo, derrame cerebral (AVC), traumatismo craniano, distonia cervical, blefaroespasmo (distúrbio em que as pálpebras se fecham involuntariamente).

Neste aniversário de 20 anos de Botox no Brasil, qual é a avaliação que se pode fazer sobre seu uso para fins estéticos?

"A toxina teve seu primeiro relato em uso estético em 1991. Desde então, se desenvolveram técnicas que trazem segurança ao médico para melhor utilizá-la. A cada dia são estudados novos pontos de aplicação e pela impossibilidade de ocorrerem efeitos tóxicos com as doses que são preconizadas para fins terapêuticos, eu dirira que é um tratamento extremamente seguro", avalia a Dra. Angela. Já o Dr. Sérgio completa: "Seguro e com alto índice de satisfação das pacientes."

veja também