Brigas com o espelho: saiba o que fazer quando "os inimigos" são coxas e culotes

Brigas com o espelho: saiba o que fazer quando "os inimigos" são coxas e culotes

Atualizado: Terça-feira, 13 Maio de 2008 as 12

Brigas com o espelho: saiba o que fazer quando "os inimigos" são coxas e culotes

Todo dia ela faz tudo sempre igual. Na frente do espelho, enquanto se veste para ir ao trabalho, avalia milimetricamente a curvatura da barriga, confere a linha dos culotes, compara o volume das pernas diante de fotos de modelos em revistas pregadas no guarda-roupas e no espelho. Checa a densidade de seios e nádegas e conta o número de buraquinhos da celulite. O exame é meticuloso e o resultado, sempre condenatório: "Preciso emagrecer, preciso de uma lipoaspiração, urgentemente"...

Longe do mundo das celebridades, as mulheres comuns sofrem com a imagem que têm de si mesmas. Umas têm as coxas marcadas por flacidez. Outras, em geral bem magras, têm aquele espaço vazio na mesma região ou se incomodam com panturrilhas finas demais. O acúmulo de gorduras nas laterais das coxas que incomoda, e muito, gordinhas e magrinhas, tem um nome: culotes. Eles deixam o corpo desproporcional e fazem com que as mulheres evitem usar biquínis e vestidos.

Quem passou por ganho ou perda de peso, é adepta do sedentarismo ou ainda engravidou, tem boas chances de ter flacidez em diferentes partes do corpo. Esse problema acontece devido ao excesso de pele formado por estiramento. Há casos, inclusive, em que a mulher apresenta escaras e escaldaduras em áreas de atrito da pele. "Em situações como estas, um dos métodos indicados para solucionar o problema é a dermolipectomia, que pode ser aplicada nos braços, nas mamas, no abdome e nas coxas", explica o cirurgião plástico Ruben Penteado, diretor do Centro de Medicina Integrada.

"Se o problema é apenas gordura localizada nas coxas, o problema pode ser resolvido também com uma lipoescultura. Mas como na maioria desses casos a flacidez também surge, a dermolipectomia deve ser associada ao tratamento", explica o cirurgião plástico. A dermolipectomia de coxas (também chamada cirurgia crural), portanto, retira o excesso de pele, proporcionando um contorno mais natural e menos flácido para as coxas.

Segundo o médico, a cirurgia, que dura cerca de uma hora, pode ser realizada com anestesia peridual ou geral e pede, no máximo, dois dias de internação. É preciso tomar cuidado apenas com o curativo que a paciente fará em casa após esse procedimento.

Após a intervenção cirúrgica, a paciente também terá de usar uma meia especial (que vai até a altura dos joelhos) por mais ou menos 15 dias. Durante esse tempo, exercícios físicos ou muito esforço na região são proibidos. Também vale evitar o sol e usar bastante filtro solar na área se for à praia. "A água do mar e da piscina podem irritar a cicatriz. É recomendável que a paciente evite esse contato por pelo menos um mês", recomenda o cirurgião plástico.

Culotes

De acordo com o cirurgião plástico, a lipoaspiração é a melhor opção para acabar com os culotes. "Isso desde que não haja grande flacidez nesta região, pois aí, seria recomendada a dermolipectomia de coxa. Para retirar o culote em pacientes com a pele firme, indica-se a lipoaspiração", explica o especialista. É bom alertar as mulheres que a cirurgia plástica, isoladamente, não resolverá o problema dos culotes. "O resultado é duradouro se a paciente não engordar muito após a cirurgia", diz o médico.

O procedimento para retirada dos culotes não é indicado para pacientes obesas, pois não se trata de uma cirurgia de emagrecimento, mas de correção do contorno corporal. Segundo Penteado, o público que mais procura a cirurgia de culotes geralmente é formado por mulheres na faixa dos 20 aos 45 anos. "A lipoaspiração dos culotes é realizada através de um pequeno orifício, por onde se introduz uma cânula e pela qual se aspira a gordura em excesso", explica Ruben Penteado.

veja também