Cabelos ganham cores mais naturais

Cabelos ganham cores mais naturais

Atualizado: Sexta-feira, 8 Abril de 2011 as 11:18

Cabelos ganham cores mais naturais em tinturas com técnicas que dão luminosidade ao rosto de forma sutil

O verão é a temporada das cores, dos brilhos e da alegria também nos cabelos, que ganham destaque com as tonalidades claras, em tinturas totais ou em mechas. Os fios não são monocromáticos e podem apresentar até três variações, do loiro claríssimo ao chocolate. O efeito natural é o objetivo, com o adicional de contar com tintas que não agridem os cabelos, mas colorem enquanto protegem e deixam os fios macios, brilhantes e hidratados. O visual leve de quem acabou de sair da praia é proposital nessa onda de naturalidade.

  O cabeleireiro Eder Bueno destaca as luzes (mechas finas) e a balaiagem (mechas mais largas). Nessa linha, o estilo de coloração que virou febre é o ombré hair ou invisible highlights, que faz as cabeças de mulheres que querem um visual moderno, despojado, natural e jovial com pontas loiras, preservando a cor original na raiz. A técnica, cujo nome ombré deriva do francês e significa sombreado, deixa a raiz mais longa e sem tintura e aplica a tinta nas pontas de forma sutil e nada marcada, em variações de degradês. Famosas como Julia Roberts, Drew Barrymore, Fernanda Lima e Leandra Leal aderiram ao modismo.

  Os coloristas garantem que a técnica do ombré pode ser aplicada em cabelos de todas as tonalidades, dos lisos aos cacheados. Mas é bom lembrar que certas cores ficam bem em umas pessoas e em outra não. O melhor caminho é conversar com o cabeleireiro e experimentar as novas tonalidades antes de optar pelo processo. O ombré tem ainda a vantagem de maior durabilidade e só precisa ser retocado a cada três ou quatro meses.

  Para quem se lembrou das tão badaladas e exploradas mechas californianas, vale dizer que elas ficaram para trás. O ombré é outra técnica e deixa outro resultado, embora seja semelhante para os leigos. É também diferente das mechas invertidas, feitas na cor oposta ao cabelo. Enquanto as californianas tinham as pontas bem marcadas com um tom claro, o ombré tem a sutileza do degradê sombreado, a graduação de tons, o que confere o efeito mais natural. Mas precisa ser bem feito para não ficar com aparência de cabelo mal pintado e perder o sentido da novidade. Quanto mais claro for o tom natural do cabelo, mais claras podem ficar as pontas, com mechas em nuances de dourado, mel e loiros. Já os cabelos castanhos ou pretos podem receber nuances de luminosidade com variações de tonalidades também escuras.

  Eder Bueno confirma que o verão é mesmo a temporada dos platinados e tons de bege. Já as morenas, segundo ele, devem ficar com as nuances sobre o tom natural do cabelo, podendo chegar a três tons entre bege e marrom com mechas douradas. "O acobreado também não é monocromático", completa o cabeleireiro. Mas vale um alerta: o clareamento dos fios, especialmente nas pontas, requer maiores cuidados na hidratação e um tratamento reparador, para quebrar os efeitos de ressecamento. Por isso, as tintas com fórmula de pigmentação mais intensa e concentrada e sem adição de amônia são as mais indicadas.

  Celebridades?Os cabelos de celebridades são sempre copiados nos salões, como atesta Eder Bueno. "O cabelo da atriz Guilhermina Guinle atrai pelo dourado que vai até o platinado. O de Adriane Galisteu não sai de moda e está mais claro, com três tons também chegando ao platinado. Beyoncé, com os fios em tom de marrom com mechas em caramelo, também faz sucesso entre as mulheres. E Claudia Raia tem feito as morenas ficarem loiras", diz Eder.

Para mulheres que costumam se espelhar em artistas e copiar cortes e tinturas, o cabeleireiro e visagista Suemar Borba alerta que cada pessoa deve ter seu próprio estilo. "É preciso respeitar o tom da pele e dos cabelos", justifica. Para ele, as celebridades devem ser apenas uma referência. "Elas podem criar inspiração que será adequada a cada pessoa", aconselha o profissional.

  Pegando carona na era da tecnologia e atento à moda dos fios mais claros, Suemar Borba desenvolveu um método que ele chama de luzes 3D. A criação explora três cores: a natural do cabelo, a das tintas para as mechas e a do descolorante. "São três tons preservando uma parte da cor natural usando mechas em forma de balaiagem, trabalhadas artisticamente", explica.

  Além do efeito natural, a técnica dá mais brilho e não carrega na aplicação da tinta. Pode ser aplicada em toda a extensão dos fios ou apenas nas pontas. "Estraga menos porque a aplicação é em uma única vez, separando os fios de forma criteriosa", garante.

As cores das tintas são identificadas por números. Normalmente há nove cores: preto, castanho-escuro, castanho-médio, castanho-claro, loiro-escuro, loiro-médio, loiro-claro, loiro-claríssimo e loiro muito claro. Essa é a denominação para a cor base, que vem identificada no primeiro número na embalagem. Já o segundo número (o 5 do código 6.5, por exemplo) é referente à nuance, que pode ser cinza, mate, dourado, vermelho-dourado, acaju, violeta, marrom, pérola ou fumê.

  O que vem por aí

Se o verão exibe cores mais vivas, o outono-inverno chegará com tons mais quentes, intensos e vibrantes que valorizem a sedução e a sensualidade. Marrons e acobreados mais profundos sairão na frente. O loiro manterá seu lugar, só que será mais trabalhado e mais brilhante, com um leve dourado e menos alaranjado, para um efeito de glamour. Cores de base devem surgir nas variações de castanho, com destaque para o claro e avermelhado. As mechas vão dos tons de loiro médio vermelho ou dourado até o loiro claríssimo também dourado, um pouco mais amarronzado.

  Cuidados

Ao escolher a cor da tinta, observe o fundo de clareamento e o número de tons a clarear.

A cor deve estar em harmonia com o tom de pele.

Para que a tinta não agrida o couro cabeludo e os fios, use produtos que tingem e hidratam ao mesmo tempo.

Faça hidratação a cada 15 dias. Nesse período, você pode também usar um tonalizante para tirar o tom amarelado que surge com o tempo.

Há xampus com pigmentação mais fraca que as tintas e que podem funcionar como tonalizantes.

Se for retocar a raiz, não puxe a tinta para as pontas para não desgastá-las.

Se quer mexer na cor dos cabelos, use um tonalizante para maior qualidade.

Se seus cabelos têm alguma química como alisamento, tome cuidado com a mistura de processos que podem agredir e danificar os fios. O formol, por exemplo, não deixa a tinta penetrar na totalidade, provocando manchas.

O ideal é procurar um bom profissional para as orientações necessárias.

  Segurança nos serviços

O consumo cada vez mais intenso de produtos e serviços de beleza tem levado a alguns exageros e descuidos com a saúde dos cabelos. Para conseguir qualidade e ter uma boa coloração, é preciso ter segurança do que será feito. O cabeleireiro Suemar Borba destaca a importância de saber como consumir esses serviços, antes de qualquer tratamento. "A cliente deve questionar o cabeleireiro, perguntar quanto tempo ele tem de profissão e que produtos vai usar", ensina.

Segundo ele, é importante observar se o profissional mede em equipamentos como balanças a quantidade de produtos que serão aplicados ou se ele o faz no "olhômetro". Para quem faz a coloração em casa a dica é ter critério na dosagem exata dos ingredientes. Outro passo é respeitar o tom de pele antes de definir o procedimento com a cor desejada.

"Uma pele morena clara usando tinta chocolate resulta em um visual igual, chapado. Nesse caso, para usar o chocolate, é preciso combinar com mechas", alerta Suemar Borba. Ele acrescenta que a coloração total dos fios é recomendada apenas a quem quer mudar a cor ou cobrir os fios brancos. Se a mulher quer apenas criar um efeito de cor, o mais indicado é aplicar um tonalizante que é mais suave e não agride os cabelos. Suemar destaca ainda uma novidade: a tinta sem amônia. A inovação elimina a agressão aos fios por ser feita à base de óleo. "Não é um produto antialérgico, mas é mais suave e ideal para quem busca preservar o couro cabeludo", atesta.

veja também