Café, costura e conversas

Café, costura e conversas

Atualizado: Quarta-feira, 3 Agosto de 2011 as 9:20

Conversamos com Guaira Miranda, dona do Café Costura, um espaço que funciona como escola de costura livre, ponto de encontro e loja de roupas, em Ipanema, no Rio de Janeiro. Ela confecciona roupas desde pequena e dividiu com MANEQUIM um pouco de sua experiência sobre o assunto.

Ela criou o Café Costura em 2005 por causa de sua paixão pelas artes manuais, que começou quando ainda era criança, seguindo os passos da mãe e das avós. Guaira conta que, na época, não era tão fácil encontrar roupas prontas nas lojas e, por isso, elas faziam tudo em casa. Mas foi aos 14 anos que Guaira passou a costurar sozinha com a ajuda dos moldes e dicas da revista MANEQUIM. Hoje, como empresária, costureira e professora, ela fala sobre seu trabalho com muito amor.

O Café Costura funciona em um espaço que abriga seu ateliê, a loja na qual são vendidas as roupas que ela confecciona e também a sala principal, onde são ministradas as aulas de três horas de duração cada para turmas de até seis pessoas. “Meu curso é de costura livre. Isso quer dizer que as alunas escolhem as peças que querem fazer e as produzem com o tecido e o acabamento que quiserem”, conta. Outro diferencial é que as estudantes podem experimentar, na loja, as peças que querem reproduzir para, então, colocarem as mãos na massa – ou melhor, nos tecidos, moldes, linhas e agulhas.

  A maior parte das frequentadoras do Café Costura é formada por mulheres bem-sucedidas, executivas, com filhos. Segundo Guaira, elas não vão até lá apenas para aprender, mas para relaxar, encontrar as amigas e conversar enquanto desenvolvem um senso de pertencimento – o “fazer junto”.

As aulas se aproximam de uma coisa que nossas mães e avós costumavam fazer: rodas de costura, ocasiões que não servem apenas para que as alunas aprendam a costurar e se preocupem em produzir peças perfeitas, mas relaxem, conversem e tenham a satisfação de concluir um trabalho manual em boa companhia.

E esse formato não atrai apenas adultos, que querem se afastar de suas preocupações diárias. Neste mês de julho, por causa das férias escolares, o Café Costura inovou e ofereceu um curso para crianças, ampliando um pouco seu fiel público, no qual a idade costuma variar entre 14 e 81 anos. O projeto infantil deu tão certo que já há planos para uma reedição. O motivo de tanto sucesso é simples: a moda está na moda e há muita criança interessada no assunto. Com o bom resultado, é certo que o interesse das pequenas alunas irá crescer e, talvez, quando forem mais velhas, elas possam criar suas próprias rodas de costura com as amigas.

veja também