Caspa e Seborréia: inconvenientes que se manisfestam principalmente no inverno

Caspa e Seborréia: inconvenientes que se manisfestam principalmente no inverno

Atualizado: Segunda-feira, 9 Junho de 2008 as 12

Por Myrian Rosário

 

Caspa, seborréia, queda capilar e afins, com certeza são fatores indesejáveis por qualquer um de nós, mas não é motivo para perdermos a cabeça. "Pesquisas relatam que, no Brasil, cerca de 50% da população entre pessoas de 20 a 50 anos de idade têm caspa pelo menos uma vez ao ano, principalmente durante o inverno, quando a constante exposição às temperaturas, que mudam repentinamente, estimulam as glândulas sebáceas aumentando, assim, a oleosidade do couro cabeludo - mas isto não quer dizer que a caspa desapareça nas demais faixas etárias e estações climáticas do ano", observa o cosmetólogo Marcelo Schulman.

Schulman ressalta ainda que, diferente do que a maioria pensa, a caspa não é contagiosa. "Ela pode surgir em crianças recém-nascidas, manifestando-se com uma crosta láctea que forma várias outras, bastante aderentes, devido ao androgênio materno ainda presente", descreve.

Mas afinal de contas, o que é a caspa e quais suas causas?

Quando ouvimos falar sobre caspa, logo nos lembramos daquela descamação e oleosidade excessivas no couro cabeludo que aparecem provocando coceiras e formando crostas de aspectos e cheiro desagradáveis.

"Resumidamente, a caspa, também conhecida como pitiríase simples, nada mais é do que a descamação esbranquiçada do tecido do couro cabeludo", define Schulman. Como possíveis causas e fatores agravantes podemos citar:

O couro cabeludo oleoso, com descamações aderidas à pele, resultante do excesso de produção das glândulas sebáceas; O fungo Pityrosporum ovale que vive naturalmente no couro cabeludo e que, quando produzido em grande quantidade, provoca irritação e descamação; Os distúrbios hormonais ou glandulares; Permanentes, alisamentos ou colorações capilares em excesso; Utilização de produtos inadequados; Processos alérgicos; Gravidez; Instabilidade emocional (ansiedade, stress, depressão etc) entre outros possíveis fatores responsáveis. "O fator desencadeante da caspa ainda não foi comprovado decididamente, mas já sabemos que transpiração, oleosidade excessiva, falta de higiene do couro cabeludo, dieta alimentar inadequada e estress são alguns dos fortes aliados na propagação de bactérias e fungos do tipo Ptyroporum ovale, um microorganismo característico nas pessoas acometidas pelo problema", relata o cometólogo. "O primeiro passo para evitá-la seria manter a higiene do cabelo usando shampoo, tônico capilar e condicionador adequados ao tipo de cabelo", orienta Dr. Marcelo Schulman.

Quando o problema de caspa se intensifica, surge então a dermatite seborréica, mais conhecida como seborréia, que deixa a região atingida com inflamações e lesões avermelhadas. A seborréia pode ser classificada em três diferentes tipos:

1. Seborréia oleosa: Afeta, principalmente, o couro cabeludo provocando descamação abundante (caspa) acompanhada ou não de queda de cabelo;

2. Seborréia gordurosa: Caracteriza-se por secreção abundante de sebo pela pele. Brilho excessivo, aspecto gorduroso e pele com acne são características principais, assim como os póros das glândulas sebáceas muito dilatados;

3. Seborréia Seca: O sebo produzido não é excretado e acumula-se na pele, que se torna espessa e coberta de crostas.

Atualmente, são inúmeros os recursos de tratamentos cosméticos para atenuar e até mesmo prevenir tais problemas. Renomados especialistas capilares têm obtido excelentes resultados com o uso de produtos cosméticos elaborados com matéria-prima de qualidade e ativos de última geração, mas um regime alimentar equilibrado também deve ser considerado. Preste sempre atenção no couro cabeludo, percebendo indícios de caspa o ideal é recorrer a um profissional especializado que realizará um diagnóstico preciso e tratamento adequado.

Dicas para prevenir o problema:

 

Mantenha uma alimentação equilibrada; Cabelos sempre limpos; Não coce o couro cabeludo excessivamente para evitar o surgimento de descamações; O tratamento da caspa pode ser feito com shampoos e loções específicas; Apesar da caspa não ser contagiosa, use sempre seu próprio pente, pois os emprestados podem trazer outros inconvenientes como micoses - por exemplo; Semanalmente faça uma limpeza nos acessórios de cabelo com água e shampoo; Periodicamente, consulte um terapeuta capilar para cuidados mais específicos, isto ajudará a manter a saúde dos fios e couro cabeludo; Percebendo indícios de caspa, procure por um dermatologista.

veja também