Celular pode causar manchas na pele?

Celular pode causar manchas na pele?

Atualizado: Terça-feira, 6 Janeiro de 2009 as 12

O celular se tornou peça indispensável na vida dos brasileiros por ter como principais atrativos a tecnologia e a praticidade. Mas uma pesquisa está colocando em risco a utilidade dessa invenção. Um estudo feito pela Associação Britânica de Dermatologistas afirma que inflamações na pele como manchas e erupções na região da orelha, bochechas e ponta dos dedos podem indicar o uso abusivo do celular.

A reação alérgica, chamada de "dermatite do celular", aparece através de manchas vermelhas, coceira, bolhas e até engrossamento da pele nestas regiões. A inflamação afeta pessoas que têm reações alérgicas à superfície de níquel do telefone, após longas horas de uso.

A dermatologista Patrícia Rittes explica como surgem as inflamações. "As reações alérgicas vem por causa do contato à superfície de níquel do aparelho. A pessoa cria anticorpos contra a substância e quando entra em contato, há uma reação alérgica como, bolinhas, coceira vermelhidão e urticária. As mulheres são mais propensas a terem dermatite de contato, pelo uso de bijuteria, cintos, pulseiras e colares", explica.

O níquel pode estar presente em fivelas, botões de pressão, piercings, agulhas de injeção, pulseiras de relógios, bijuterias e jóias banhadas a ouro ou prata (após perderem o revestimento), e certas marcas de telefone celular, mais especificamente na sua superfície, nas teclas e na capa.

O suor e a fricção da pele facilitam a difusão e a penetração dos elementos alergênicos. Além disso, as condições de trabalho, do ambiente e o estado da pele no local do contato podem desencadear ou agravar as crises.

Durante as crises alérgicas, alguns alimentos devem ser evitados como o feijão, o grão-de-bico e a ervilha, por conterem conteúdos razoáveis de níquel. Algumas embalagens de alimentos também podem ser alergênicas.

Enquanto nenhum estudo comprove o efeito maligno do uso abusivo do celular, a cosmiatra e professora da Sociedade Brasileira de Medicina Estética, Maria Mercedes Granja orienta sobre alguns cuidados básicos que podem evitar as irritações. "A prevenção destas afecções pode ser feita pelo afastamento do metal irritante, ou seja, usando fones de ouvido ou envolvendo o aparelho em filme plástico. O tratamento depende da fase em que se encontra a inflamação e exige supervisão médica, pois outros fatores importantes podem estar implicados. Sem dúvida, o melhor tratamento consiste na prevenção pelo afastamento do alérgeno", finaliza.

O diagnóstico das alergias é feito, geralmente, através da observação clínica ou de testes laboratoriais, os quais apresentam sensibilidade e especificidade em torno de 80%. Os testes devem ser realizados fora do período da crise.

veja também