Coluna Simone Aquino - Você sabe o que é Involução Cutânea

Coluna Simone Aquino - Você sabe o que é Involução Cutânea

Atualizado: Quarta-feira, 13 Fevereiro de 2008 as 12

Coluna - Simone Aquino

Você sabe o que é Involução Cutânea

 

Involução é um conjunto de eventos que ocorre durante toda nossa vida e que compromete a nossa pele, deixando-a com aspecto envelhecido.

Nenhum de nós está livre do processo de involução, pois a grande certeza é que todos os seres humanos envelhecem. Se conhecermos os mais importantes eventos deste processo, poderemos encará-lo melhor, tomando providências para retardar as seqüelas.

Eventos da Involução

De 14 a 18 anos: produção excessiva de oleosidade e dilatação dos póros. Asperezas que levam ao surgimento de acne juvenil, com "cravos? e "espinhas?. De 18 a 25 anos: as melhoras da pele em relação aos "cravos? e "espinhas? são mais nítidas no sexo feminino. O teor da hidratação passa a ser mais estável, com o equilíbrio da produção e eliminação de sebo. De 25 a 30 anos: a pele feminina diminui a produção de colágeno solúvel, que tem a capacidade de reter água, e começa o processo de envelhecimento.  De 30 a 35 anos: a pele passa a apresentar, claramente, sinais de carência de um equilíbrio hídrico ideal para o bom funcionamento da epiderme. A hipoderme, por sua vez, entra em processo de redução de espessura, dando margem ao surgimento de rugas, com sulcos profundos. De 35 a 40 anos: a pele torna-se mais fina e retificada. Surgem escamas, rugas na testa e pés de galinha. De 40 a 45 anos: a secreção sebácea mostra sinais de produção deficiente e as lâminas da camada córnea vão se destacando rapidamente. Os depósitos de cálcio e magnésio nas fibras elásticas dos vasos da face alteram a sua dinâmica. De 45 a 50 anos: a diminuição da espessura da hipoderme, somada a uma fragilidade das fibras elásticas e à carência de fibras colágenas solúveis, determina um grau maior de rugas. De 50 a 55 anos: As fibras colágenas ficam ainda mais entrelaçadas e ricas e colágeno insolúvel. A pele torna-se flácida porque também as fibras elásticas não conseguem manter as tensões necessárias ao bom funcionamento do tegumento. Os melanócitos reduzem a produção em mais de 80%. De 55 a 60 anos: nesta faixa a desidratação da camada córnea atinge quase o seu apogeu. A hipoderme já é lâmina bem estreita e irregular. De 60 anos em diante: circulação dérmica bem diminuída devido à presença de depósitos de colesterol no íntimo dos vasos. A epiderme não acompanha mais os movimentos musculares, tornando-se, lentamente, um pergaminho. Cai a capacidade de regeneração da pele diante das lesões.  Características da Pele Jovem

1.  Fibras colagênicas elásticas e flexíveis;

2.  Colágeno rico em aminoácidos;

3.  Manutenção do teor hídrico.

Características da Pele Envelhecida

1.  Fibras colagênicas rígidas e volumosas;

2.  Modificação do teor hídrico, não retém água suficiente para hidratação;

3.  Nutrição e oxigenação vão tornando-se deficientes.

Hoje a Medicina pode prever os acontecimentos de cada fase da involução. Não se pode impedir o envelhecimento, mas podemos minimizar suas características e retardar seu aparecimento, fazendo prevenção dos sinais de envelhecimento e melhorando a qualidade da pele, deixando-a com um visual mais jovem.  

Simone Aquino é professora de Estética

veja também