Com alegria, exuberância e luxo, Milão contorna crise

Com alegria, exuberância e luxo, Milão contorna crise

Atualizado: Quarta-feira, 28 Setembro de 2011 as 9:33

A etapa de desfiles primavera-verão 2012 chega à última parte com as apresentações de Paris, que começaram nesta terça-feira. É o mesmo dia em que termina Milão, que já pensa na temporada de setembro do ano que vem. E a Itália, país que está sentindo os efeitos da crise econômica mundial, terminou sua semana otimista, visando os mercados emergentes e fazendo uma moda alegre e brilhante.

Parece que para combater a crise, nada como uma boa dose de cores, estampas e luxo. Foi esse o recado da maioria das grifes italianas. E olha que não faltam exuberância e vibração nas coleções. Não à toa, vêm de Milão muitas das principais tendências, apesar de muitos fashionistas ainda torcerem o nariz para esta semana de moda.

Junte-se Prada, Dolce & Gabbana, Fendi, Armani, Versace, Roberto Cavalli, Gucci, Max Mara, Missoni e está feito o resumo da temporada. Claro que Marc Jacobs, Louis Vuitton, Chanel, Dior etc. são outras que complementam o Olimpo da moda. Mas não dá para pensar agora num verão 2012 sem as exuberantes estampas de legumes e flores de Dolce & Gabbana e Prada, nem das cores psicodélicas e dos metalizados de Cavalli. Ok, Nova York e Londres também apostaram na tendência das estampas, nas cores e no brilho. Em Milão, porém, tudo tem o tempero mais latino e quente. Mas chique.

Grifes

Se Gucci deixou um pouco de lado o color blocking que fez no verão passado, apostando em cores mais sóbrias, como preto, Prada manteve-se na toada da alegria que mostrou no último verão - com suas listras e estampas tropicais, com banana e macacos - mas agora trouxe peças que lembram os anos 50, como saias godês, ou outras tipo lápis, que traziam flores aplicadas. Carros, nas bolsas, sapatos e roupas, também serviam de enfeite.

Pimentas, abobrinhas e tomates também marcaram presença em Dolce & Gabbana, que mais uma teve inspiração siciliana. Na silhueta, saias amplas e godês.

Se os anos 50 estão fortes, os 20 também aparecem em várias coleções, com roupas mais retas, algumas com franjas. Roberto Cavalli mostrou um pouco isso, misturado aos tecidos metalizados e estampas hipercoloridas, com um pé no barroco.

Missoni, Pucci também trouxeram cores fortes e exuberantes, em tecidos leves e algumas sobreposições. Já no quesito mais cool, destaque para Giorgio Armani, que veio com peças mais limpas, como suas calças que chegavam até acima do tornozelo e leve fenda na frente, usadas com túnicas e boleros ricamente bordados.

Cristais também iluminam alguns vestidos da Versace, que trouxe estrelas-do-mar e cavalos-marinhos entres seus temas. Assim, é sempre bom lembrar que o luxo com ou sem ostentação é meio caminho andado para contornar a crise. É nisso que os italianos apostam.

Anote seis tendências vistas em Milão:

1) Estampas grandes, que podem ser flores, vegetais, elementos do mar lenços ou psicodélicos

2) O comprimento principal é pelo joelho, mas há episódios mais curtos ou longos

3) Tecidos metalizados e aplicações brilhantes também são fortes para o verão 2012

4) Plissados, godês, ou retos garantem a feminilidade, ora realçando levemente o quadril, com a forma de tulipa, ora com transparências lembrando as lingeries. Inspiração vem principalmente dos anos 20 e 50. Alguns justos, contornando o corpo feminino, também aparecem

5) O color blocking não foi unanimidade, mas aparecem aqui e ali, junto com cores neutras: preto, prata, branco, marrom, bege e apastelados

6) Vestidos e saias são as principais peças propostas para o verão milanês.

veja também