Comer para emagrecer

Comer para emagrecer

Atualizado: Quinta-feira, 16 Dezembro de 2010 as 4:27

Quando se fala em dieta, o primeiro impulso é pensar: boca fechada! Mas o mito de que não comer nada é a solução para eliminar os quilinhos extras já não convence mais. Justamente com o foco na reeducação alimentar, a nutricionista Bia Rique lançou o livro com o sugestivo título "Comer para Emagrecer", que inspirou essa matéria.

Primeiro passo: mudança de hábitos

Não só as refeições são avaliadas na hora de uma reeducação. Qualquer mudança requer força de vontade, engajamento e planejamento. Quando um paciente entra num processo de reeducação alimentar, antes de tudo, os seus hábitos e histórico devem ser avaliados e aí, sim, um programa é montado. "Dieta ideal é a que é somente para você", diz a endocrinologista Denise Rosso

Bia Rique ressalta que entender o estilo de vida e o momento que a pessoa está vivendo são fatores fundamentais para o sucesso. "Se a pessoa está estressada, por exemplo, talvez esse não seja o momento para ela entrar em uma dieta. Mas, se ela está se preparando para casar, se ela está motivada, talvez este seja um momento propício", diz ela.

“Uma pessoa que lida com ansiedade e compulsão há anos não vai resolver todas as questões em pouco tempo e é importante que ela saiba disso, para não gerar uma frustração”

Tempo X ansiedade

É normal a ansiedade em ver logo os resultados. Mas vale a cautela e o pensamento a longo prazo - o que é muito difícil para uma sociedade tão imediatista como a nossa. Com a proximidade do verão, as dietas da moda viram uma tentação para quem quer perder peso com rapidez, o que pode virar um problema. A perda de peso saudável, por mês, é de até 4 kg paras as mulheres e 6kg para os homens."Muitas dietas não possuem caráter científico e colocam em risco o bem estar da pessoa. A única dieta desenvolvida por um médico brasileiro - e compatível com os nossos hábitos alimentares e costumes - foi o programa de reeducação alimentar criado com o uso da dieta dos pontos. Este tipo de dieta classifica os alimentos por pontos, não proibindo a ingestão de nenhum tipo de comida. Este programa é usado pelo Vigilantes do Peso" , conta Denise Rosso.

O desafio é o paciente perceber e entender de que se trata de uma grande mudança comportamental e que o progresso será de acordo com suas limitações e dificuldades. "Uma pessoa que lida com ansiedade e compulsão há anos não vai resolver todas as questões em pouco tempo e é importante que ela saiba disso, para não gerar uma frustração. O que mais demora a se mudar é o comportamento. O corpo entende mais rápido o que é bom para o organismo do que a nossa cabeça", explica Bia, completando que geralmente a mudança de pensamento leva de quatro a seis meses para ser concretizada. "A gente não pode se iludir achando que consegue guardar o prazer na gaveta e por isso é importante saber administrar o dia a dia e conhecer nossas vulnerabilidades. Assim, você não corre o risco de chegar em uma festa e não saber lidar com a oferta de quitutes e salgadinhos. Devemos estar preparados para negociar com a gente mesmo esses deslizes, que vão acontecer, porque somos humanos", aconselha Bia. Aqui, claro, vale o equilíbrio e o bom senso para contrabalançar durante a semana a alimentação.

“O segredo da dieta é que sempre se pode recomeçar. Acho fundamental na dieta você ter um dia livre para comer o que gosta. Não estou dizendo que a pessoa precisa usar este dia para ir a um rodízio de pizza, mas se deliciar com um sorvete ou um pedaço de chocolate”

Denise concorda: "O segredo da dieta é que sempre se pode recomeçar. Acho fundamental na dieta você ter um dia livre para comer o que gosta. Não estou dizendo que a pessoa precisa usar este dia para ir a um rodízio de pizza, mas se deliciar com um sorvete ou um pedaço de chocolate". Ela ainda enumera alguns cuidados fundamentais para o emagrecimento, como: beber, no mínimo, dois litros de água por dia; não pular o café da manhã, iniciar a refeição com um prato de saladas, evitar a ingestão de carboidratos após as 20h e não misturar os carboidratos nas refeições.

O papel do exercício

Na hora da matemática da dieta, o papel da alimentação corresponde a 70% e o dos exercícios, a 30%. Mas, estar em movimento é fundamental para a manutenção do peso.

"Quando uma pessoa está comprometida com os exercícios, geralmente segue a dieta e procura uma alimentação saudável. Eu sugiro que a atividade seja incorporada aos hábitos, durante o processo de emagrecimento, lembrando que ela é um dos principais fatores para se manter o peso ideal", explica Bia. E para tal deve-se, antes de tudo, procurar exercícios com o qual haja identificação, seja uma aula tênis ou alongamento. Ou seja: nada de ficar obcecada e sair correndo para se inscrever em todas as aulas com alto gasto calórico. Pense antes de tudo no elo que você deve criar com o exercício físico. Depois do exercício incorporado à rotina, fica tudo mais fácil e automaticamente aumenta o interesse por outras aulas.

Fora os benefícios para saúde como um todo, para comprovar o quanto é importante incorporar a atividade física à rotina diária, vale encarar as estatísticas assustadoras: 96% das pessoas voltam a engordar depois da dieta. Os outros 4% fazem exercício diariamente.

Denise aconselha quem não gosta de frequentar academias ou está sem tempo a adotar algumas pequenas mudanças como: saltar um ponto antes no ônibus, evitar usar o elevador e suba de escada e diminuir o tempo de uso do computador. São pequenas medidas que terminam fazendo a diferença.

Algumas dicas de Bia Rique:

Jamais comer sem estar com fome. Mas, não esperar estar faminta para comer. Quando estiver com fome, optar por fibras, água, vegetais, saladas cruas. Conhecer suas vulnerabilidades. Aprender a substituir os alimentos e não trocar 8 por 80. Programar os seus abusos, exercitando a moderação.

veja também