Como escolher o vestido de formatura

Como escolher o vestido de formatura

Atualizado: Quinta-feira, 4 Agosto de 2011 as 9:36

Tomara-que-caia ou frente única? Tafetá ou cetim? Além do vestibular, que já causa transtornos o bastante na vida de um formando, a escolha do vestido para o baile de formatura traz grandes dúvidas, e por um bom motivo. O fim do Ensino Médio marca uma conquista e o fim de uma importante – e longa, muito longa – etapa da vida, e comemorar esse desfecho requer traje de gala.

Por isso, a escolha do vestido a ser usado no baile é importante não só para a formanda, mas para a família dela. “Às vezes recebo a família toda. Vem a mãe, a tia, a avó... A formanda é como uma noiva”, conta o estilista Geraldo Couto, especializado em vestidos de noiva e de festa. “O vestido demonstra a comemoração de uma página virada. Independentemente da classe social, a família sente prazer em pagar por ele”, diz o estilista.

A estudante paulistana Marcela Simonini, de 17 anos, que se forma no Ensino Médio no final de 2011, concorda que a roupa da formatura é muito importante. “Fiz festa de 15 anos e fantasiei muito com o vestido, e com o de formatura foi assim também. Vou me formar, ser maior de idade, entrar na faculdade, e esse vestido marca essa transição”, afirma.

Por isso, Marcela já está com o vestido comprado. “Pesquisei as tendências com a ajuda da minha irmã, que trabalha com moda, e saí à procura. Escolhi um modelo longo, azul meio petróleo – porque combina com os meus olhos – e frente única, com alguns bordados”, descreve.

De olho na moda   Observar as tendências, como Marcela fez, pode ser um primeiro passo para quem precisa escolher o vestido e não sabe por onde começar. “Cores fortes, monocromia, colorblock e decotes nas costas estão em alta”, afirma o estilista Arthur Caliman, que cria vestidos de festa e para adolescentes.

Na hora de descobrir as tendências, as famosas podem ajudar bastante. “Elas buscam referências em celebridades da mesma idade, como Selena Gomez. A mais citada pelas formandas é a Miley Cyrus”, conta Geraldo.

De fato, Miley arrasa no tapete vermelho com longos estampados, com detalhes étnicos ou um grande decote nas costas. Mas não é só porque ela vestiu que você deve vestir também. “As adolescentes têm muita personalidade. Não vestem nada que não queiram”.

Os tecidos Os estilistas recomendam que as formandas busquem conforto acima de tudo, afinal, vão dançar a noite toda e curtir a festa com os amigos. Mas conforto não é sinônimo de material inadequado à ocasião. Os tecidos mais tradicionais são cetim, mousseline e crepe, além do tafetá, que é mais estruturado e, por isso, está em alta. Mas também vale inovar com tecidos tramados com fio neon, por exemplo. “É um fio que acende na luz negra, que se destaca nas pistas de dança”, explica Arthur.

  Saiba se valorizar Mas não é aconselhável se ater à moda e não se preocupar com os cortes e tecidos que favorecem ou prejudicam o biótipo. “Vestidos muito justos e muito agarrados, que evidenciam muito o corpo, são um erro que deve ser evitado. Tudo tem que ter um equilíbrio, valorizar os atributos físicos da jovem, mas sem cair no conceito da mulher objeto”, recomenda Arthur. Além disso, é importante escolher vestido e acessórios que tenham tudo a ver com quem vai usar. Nada de um vestido lindo, mas adequado a mulheres da faixa etária da mãe ou da tia, e não de uma garota de 17 anos. “Não é indicado nada mega, como brincos enormes, salto enorme, porque elas ainda não são mulheres, não seguram bem estolas ou echarpes, por exemplo”, afirma Geraldo Couto.    

veja também