Confira detalhes dos métodos de depilação e evite incidentes

Confira detalhes dos métodos de depilação e evite incidentes

Atualizado: Sexta-feira, 2 Setembro de 2011 as 10:25

Diferentes métodos de depilação, além da cera e lâmina, antes elitizados, estão cada vez mais populares e com preços acessíveis. De acordo com o diretor do Instituto de Dermatologia e Estética (IDE) de São Paulo, Adriano Almeida, o custo da depilação a laser, por exemplo, caiu cerca de 70% em clínicas voltadas ao público B e C. "Antes o profissional tinha que alugar o aparelho para fazer a depilação. A máquina custava US$ 600 mil e hoje pode ser comprada por R$ 300 mil", justificou. O barateamento facilitou para que os consultórios adquirissem o produto, o que também tornou mais fácil o agendamento de sessões.

A mudança nos serviços de estética fez com que 30% das pessoas migrassem da depilação manual - cera e lâmina -, para procedimentos mecânicos, segundo Almeida. De acordo com a professora de depilação do Senac Evanir Okimasu, a procura pela depilação a laser sofreu um "boom" nos últimos 12 meses, estimulada pelos sites de compras coletivas.

Entretanto, o crescimento acentuado de clínicas que oferecem os procedimentos e da demanda pelos serviços merece atenção para os riscos e cuidados com a pele. Segundo o diretor do IDE, não existe depilação sem agressão à derme. "A lâmina provoca micro traumas na pele, a cera quente pode causar queimaduras e manchas e os cremes depilatórios agridem a região por conta dos componentes químicos", exemplificou. Além disso, de acordo com a professora Evanir Okimasu, a depilação com cera pode provocar flacidez se não for aplicada da forma correta.

Com o laser não é diferente. A corrente elétrica emitida pode queimar a pele, causar inflamações, machucados e manchas. Entre todos os métodos, o menos agressivo no momento da depilação é a cera fria, segundo Adriano Almeida. "Mas se for pensar em longo prazo é o laser, porque depois de determinado período não haverá mais agressão no local", concluiu.

Depilação a laser

O procedimento é feito com intervalos de quatro semanas, acompanhando o ciclo de crescimento do pelo, afirmou Eveline Sebba, dermatologista da rede Onodera Estética. Segundo ela, o método não pode ser chamado de definitivo, mas às vezes o pelo fica tão enfraquecido que não nasce de novo. "Entre quatro e oito sessões, o paciente consegue reduzir até 80% da quantidade de pelos na região. Alguns conseguem ficar até dois anos sem fazer depilação", explicou. Entretanto, alterações hormonais relacionadas à menopausa, gravidez e interrupção do uso de anticoncepcional podem alterar o resultado.

Tanto a cera, como a depilação a laser e fotodepilação não são procedimentos agradáveis. "Não existe depilação sem dor", diz o presidente da Espaço Laser, Ygor Moura. Mesmo assim, segundo ele, a cera em breve será o que é o LP hoje e as pessoas preferirão métodos mecânicos. Moura chama a atenção para a importância de se informar sobre o tratamento, checar se ele é adequado para o tipo de pele e escolher uma clínica de confiança.

Contraindicações   Mulatas e negras não devem se submeter à depilação a laser, pois podem sofrer graves queimaduras. Isso acontece porque o aparelho dispara uma corrente elétrica que é atraída pela melanina do pelo, então, ela atravessa o folículo piloso e o destrói. A pele negra tem muita melanina e iria absorver a corrente elétrica, explica Adriano Almeida. "Quanto mais escura for a pele, mais ela absorverá o calor". Por este motivo, também não é permitido fazer a sessão quando a epiderme estiver bronzeada.

O laser só funciona em pelos escuros, portanto, a depilação será totalmente ineficaz quando feita em penugem loura ou branca. Mulheres grávidas e pessoas que fazem tratamento de pele com produtos ácidos não devem se submeter ao procedimento. Após fazer a depilação a laser não se deve tomar sol para evitar irritações e manchas escuras, alerta o dermatologista e diretor do IDE.

Entre os métodos mecânicos de depilação estão laser diodo, laser alexandrite, fotodepilação e eletrolipólise. Confira as vantagens e desvantagens dos procedimentos em relação às depilações manuais; como cera e lâmina, de acordo com a professora de depilação Evanir Okimasu:

Lâmina - O método caseiro é prático, rápido e pode ser feito durante o banho. A lâmina pode causar irritação no local e não se deve tomar sol logo após a depilação.

Duração: dois dias, em média

Gasto de tempo: baixo

Dor: indolor

Riscos: alergia, corte e irritação

Preço: R$ 10, em média, a lâmina

Cremes e loções - O método é caseiro, rápido e prático. Os produtos têm substâncias tóxicas que podem causar reações adversas.

Duração: sete dias, depende

Gasto de tempo: baixo

Dor: indolor

Riscos: alergia, queimaduras e manchas na pele

Preço: R$ 20, em média, o creme

Fotodepilação - é o procedimento mais moderno, porém não é considerado depilação a laser. O aparelho funciona à base de luz pulsada, dói menos e enfraquece os pelos. O método é ideal para diminuir a quantidade de pelos na região e depois manter a depilação com outro processo, como cera, por exemplo.

Duração: 3 meses em média

Gasto de tempo: médio

Dor: regular

Riscos: queimadura, manchas, inflamações e reações alérgicas

Preço: R$ 60 por sessão, em média

Depilação por corrente elétrica - se consiste em retirar pelos fio a fio. O procedimento é realizado com anestesia, uma agulha é introduzida no folículo piloso e uma corrente elétrica é disparada. O método é preciso, mas muito demorado. São removidos cerca de 20 pelos por sessão.

Duração: 6 meses a 2 anos

Gasto de tempo: altíssimo

Dor: dolorido

Riscos: queimaduras, manchas e reações alérgicas

Preço: R$ 250, em média, por sessão

Cera quente - é um método muito utilizado e a cera pode conter vários ingredientes que hidratam a pele. A alta temperatura estimula a circulação sanguínea, por isso, não o procedimento não é indicado para pessoas com vasos e varizes, pois pode causar lesões.

Duração: 15 dias

Gasto de tempo: médio

Dor: muito dolorido

Riscos: pode queimar a pele, provocar manchas e se for feita de forma errada causa flacidez.

Preço: entre R$ 15 e R$ 50 meia perna, cada depilação

Laser alexandrite - o aparelho possui técnica de resfriamento na ponta, que alivia a dor durante a depilação. O aparelho tem a mesma eficiência que o de laser diodo.

Duração: 6 meses a 2 anos (após de 5 a 8 sessões)

Gasto de tempo: médio

Dor: dolorido

Riscos: queimaduras, manchas, inflamações e reações alérgicas

Preço: R$ 100, em média, por sessão

Cera fria - a depilação pode ser feita em casa ou no salão. É bem aderente e é útil para pessoas com varizes, pois não faz a dilatação dos vasos como a cera quente.

Duração: 15 dias

Gasto de tempo: médio

Dor: extremamente dolorido

Riscos: as regiões das axilas e virilha podem ficar manchadas por causa da sudorese da cliente, provocada pela dor. Se a cera for puxada de forma errada pode cortar a pele.

Preço: entre R$ 15 e R$ 50 meia perna, por depilação

Laser diodo - o aparelho mais comum usado neste tipo de depilação é o light sheer. Ele emite correntes de calor que são atraídas pela melanina do pelo, penetram os folículos pilosos e destroem a célula germinativa do pelo. Pessoas mulatas, negras ou bronzeadas não podem fazer e é ineficaz com pelos claros.

Duração: 6 meses a 2 anos (após 5 a 8 sessões)

Gasto de tempo: médio

Dor: muito dolorido

Riscos: queimaduras, manchas, inflamações e alergias

Preço: R$ 100  

veja também