Conheça os modelos de bolsas que ressaltam partes do corpo

Conheça os modelos de bolsas que ressaltam partes do corpo

Atualizado: Sexta-feira, 5 Novembro de 2010 as 11:11

Na hora de escolher, muitas mulheres não levam em consideração como o acessório pode influenciar no conjunto de uma produção. As mais práticas, que não ousam arriscar modelos, podem ficar com o visual inteiro comprometido. Já os que prestam atenção nas variedades têm mais chance de sofisticar o look e ainda ressaltar partes certas do corpo.

Para começar, esqueça a velha regra de combinar as cores dos sapatos com a bolsa. "A combinação, hoje em dia, se faz de acordo com o estilo das peças usadas, sem que as estampas ou cores sejam iguais", diz a consultora de moda Ivana Bernstein.

Mas existem alguns truques que podem valorizar seu corpo com o toque desse acessório. Se você tem poucas curvas, experimente as versões largas e desestruturadas. Na hora de optar por uma a tiracolo, use-a na altura da cintura, para criar a ilusão de uma curva. Mulheres de bastante busto, por exemplo, devem evitar bolsas debaixo do braço. Os modelos que ficam na altura do quadril ou que podem ser carregados nas mãos desviam o olhar da região dos seios.

Modelos de bolsas

Maxi

São muito úteis para o dia a dia, mas já perderam um pouco do apelo fashion. Aproveite para usá-las em atividades de lazer ou de trabalho, em que é preciso carregar muita coisa, e evite-as em situações formais. É preciso tomar cuidado se você é baixinha demais, porque as bolsas grandes podem dar a impressão de que se é menor ainda.

Saco ou hobo

"É um tipo de bolsa perfeita para o uso diário porque é espaçosa, totalmente molenga (ajusta-se facilmente) e durável", explica a editora de moda da revista Marie Claire norte-americana Nina Garcia, no livro As 100 + O guia de estilo que toda mulher fashion deve ter. As Hobo (vagabundo, em inglês) foram inspiradas nas grandes bolsas de tecidos que os mendigos costumavam carregar. Em tons suaves, imprimem frescor à alfaiataria. As de couro mole também são um sucesso entre mulheres boêmias (modelos, artistas e jovens urbanas), já que são informais e discretas.

Carteira

Elas podem ser encontradas em todos os tamanhos (grandes, médias e minis) e texturas (metalizadas, bordadas, acetinadas ou com estampa de bicho). À noite, considere-a uma joia. As versões para o dia, cada vez mais comuns e chamadas de day clutch, são geralmente maiores e podem ser de matérias primas naturais, como madeira e palha.

A tiracolo

São as bolsas com alça longa, de formato menor, usadas atravessadas em um dos ombros. O modelo mais clássico é o 2.55, de Coco Chanel. Nessa versão, lançada em fevereiro de 1955 (daí o apelido numérico), a estilista inovou no uso das alças duplas de correntes.

Canoa

De tamanho médio e formato versátil, a bolsa vai bem em diversas ocasiões, do trabalho ao coquetel. É possível carregá-la no antebraço ou pendurada no ombro, o que dá aspectos diferentes à produção. A dica para ficar elegante é sempre manter o cotovelo junto ao corpo.

Bag

Por parecer uma mala, é uma bolsa curinga para passeios longos ou para levar no trabalho. A versão mais queridinha e copiada é a Speedy, da Louis Vuitton, que existe desde 1933. O modelo clássico leva o monograma LV, mas outros podem ser encontrados em couro liso ou xadrez.

Birkin e Kelly

As duas se tornaram modelos icônicos desenhados pelo estilista Jean-Jouis Dumas-Hermès. A primeira, uma homenagem à atriz e cantora Jane Birkin, que em certa ocasião derrubou uma bolsa exageradamente cheia perto do designer. A segunda, batizada após o sucesso que fez nos looks da princesa de Mônaco Grace Kelly, tende a ser um pouco mais delicada e de mão. Mas ambas possuem detalhes que só uma original Hermès contempla (acabamentos no fecho, cinto, cadeado e pés metálicos) e podem ter fila de espera para compra de até cinco anos.

veja também