Conheça Philip Treacy, o chapeleiro do casamento real

Conheça Philip Treacy, o chapeleiro do casamento real

Atualizado: Quarta-feira, 11 Maio de 2011 as 11:02

Se a estilista britânica Sarah Burton foi a estrela oculta do casamento real, que só divulgou ser a responsável pelo vestido de noiva quando Kate Middleton apareceu prontinha na Abadia de Westminster, em Londres, no dia 29 de abril, o designer Philip Treacy tem sido o centro das atenções desde fevereiro, quando a Duquesa de Cambridge e outras convidadas-celebridades o elegeram para desenhar seus respectivos chapéus.

Holofote nunca foi problema para o designer, nascido em 1967, em Ahascragh, na Irlanda. Antes de ser o queridinho de Kate Middleton, cuja sugestão veio por meio de Camila Parker Bowles, madrasta do Príncipe William e amiga de Treacy, as criações modernas, elegantes e superousadas do chapeleiro já haviam caído no gosto das famosas.

Na lista de celebs que adoram Philip Treacy também estão Victoria Beckham, Sarah Jessica Parker, Lady Gaga, Naomi Campbell, Anna Dello Russo, entre outras. Para Camila, ele criou o chapéu usado na união com o Príncipe Charles.

A cliente mais fiel, a editora e colunista de moda Isabella Blow, morta em 2007, foi quem o lançou no mundo do glamour. Isabella era famosa pelo visual excêntrico, quase sempre composto por um chapéu extravagante e inédito, e pelas críticas e resenhas em publicações britânicas como Tatler e Sunday Times. A admiração era tanta, que a fashionista foi enterrada com um chapéu desenhado por Philip Treacy.

Carreira

O know-how de Philip Treacy começou com os anos de estágio com o chapeleiro de luxo Stephen Jones, de Londres. À imprensa de moda internacional, o designer sempre disse ser apaixonado pelas festas de casamento de sua cidade natal. Desde criança esteve em contato com o design, desenhando vestidos de gala para as bonecas das irmãs.

Em Dublin, nos anos 80, foi cursar a Faculdade Nacional de Artes e tinha como hobbie desenhar chapéus, "sem compromisso". Ele se formou em 1991 e um ano depois abriu o primeiro showroom, na região de Belgravia, em Londres. O primeiro desfile foi também em 1992.

As coleções do designer têm três diferentes categorias. No topo estão os chapéus da Alta-Costura, todos artesanais. Custa em média 5 mil libras cada peça (aproximadamente R$ 15 mil). Tem a linha de chapéus casuais, que custam em média 300 libras (R$ 1.500) e o streetwear, com acessórios mais básicos, que custam a partir de 95 libras cada.

O passatempo virou profissão e hoje Philip Treacy já tem mais de 20 anos de carreira, sendo um dos especialistas do momento quando o assunto é chapéu. O designer soma trabalhos desenvolvidos em parceria com grandes marcas como Chanel, Givenchy, Versace, Valentino, Alexander McQueen, Ralph Lauren e Donna Karan. O chapeleiro já recebeu cinco vezes o prêmio de "British Accessory Designer of the Year" (Designer Britânico de Acessórios), pelo Conselho de Moda Britânico.

Opinião

Embora tenha mantido discrição quanto às clientes que usaram seus chapéus no casamento real, Treacy afirmou ter sido um começo de ano cheio de trabalho, por conta das encomendas. Foram mais de 30 modelos feitos especialmente para a "união do século".

Para o designer, o importante não é usar um chapéu adequado, mas sim adequar-se à peça. Sem regras específicas. Em suas entrevistas, ele defende que cada mulher deve injetar um pouco da personalidade ao chapéu usado.

No entanto, apesar dos negócios estarem em bom momento, após tanto trabalho pelo casamento real, Philip Treacy estaria chateado por não ter sido convidado para o grande dia, de acordo com boatos que rondam os tabloides, blogs e redes sociais britânicos. Porta-vozes oficiais do designer não afirmam e também não negam a informação.  

veja também