Controle o suor e passe um verão menos melado

Controle o suor e passe um verão menos melado

Atualizado: Terça-feira, 6 Janeiro de 2009 as 12

O suor incomoda você? No verão, o calor intenso deixa a pele bronzeada e o dia mais bonito, mas também traz suas preocupações: afinal, nossas roupas não precisam denunciar o calor que sentimos com generosas manchas molhadas, não é mesmo? Saiba como contornar o problema e fique sempre sequinha!

Marcelo Bellini é dermatologista e explica que até um simples desodorante deve ser escolhido com cuidado. "Algumas pessoas podem apresentar alergias e, por isso, é importante conhecer os ingredientes que estão sendo utilizados", diz. Uma dica é aplicar o leite de magnésio – aquele mesmo, que se toma contra acidez – nas axilas, com um algodão, em vezes do desodorante. Ele controla a acidez da região, evitando a proliferação de bactérias. Assim, o odor também fica controlado, mas sem agredir a pele.

Se as alergias não são um problema, a enorme variedade de opções no mercado pode ser: como escolher? De acordo com o especialista, os desodorantes em creme (os roll-ons se incluem nessa categoria) permitem uma maior absorção que os aerosóis. Porém, é importante ficar de olho nas suas axilas: a camada de creme pode obstruir os poros, causando nódulos ou inflamações. Se isso acontecer, pare de usar o produto e procure seu dermatologista.

Entre os aerosóis, há um receio já bastante difundido pela ação do alumínio, que, acredita-se, pode causar uma série de problemas na saúde, inclusive câncer. Porém, Marcelo garante que a absorção da pele é muito pequena, e que por isso o risco é mínimo. O problema maior está na inalação do produto. Por isso, jamais use o spray muito próximo ao rosto.

Seja em creme ou em aerosol, a verdade é que as grandes marcas de desodorantes adoram prometer milagres. Clarear a pele é um deles. De acordo com o dermatologista, o que se faz é acalmá-la, com ingredientes que diminuem a irritação da área sensibilizada, por exemplo, por uma depilação. "Quando machucada, a pele tende a escurecer. Os desodorantes clareadores, então, não a clareiam, mas evitam que ela escureça porque diminuem a irritação", diz.

É nessa função de acalmar e hidratar que entram os ingredientes diferenciais de cada desodorante. Calêndula, pepino, óleo de semente de girassol, de tudo um pouco. Mas nenhum extrato evita o suor ou o odor: eles são meros coadjuvantes. O que realmente funciona são o cloridróxido de alumínio e o bactericida (normalmente o Irgasan), comuns a todas as marcas. O álcool também é muito eficaz, mas deve ser evitado pelas peles mais sensíveis, pois é bastante agressivo.

Água demais

Suar um pouquinho no verão é normal. Mas algumas pessoas (muitas, por sinal) suam mais, durante o ano todo, e também têm as mãos e os pés freqüentemente úmidos. Nesses casos, que os médicos chamam de hiper-hidrose, um simples desodorante pode não resolver.

A hiper-hidrose pode vir de influências genéticas, mas muitas vezes é causada por elementos psicológicos (estresse, por exemplo) ou físicos. Alterações hormonais, problemas na tireóide ou até tumores podem aumentar a sudorese.

Uma das soluções mais procuradas nas clínicas dermatológicas é a toxina botulínica. Botox, sim, mas não para esticar ou preencher a pele. Aplicado superficialmente, o Botox ou o Dysport diminuem sensivelmente a atividade das glândulas sudoríparas e resolvem o problema por pelo menos seis meses. "80% dos pacientes não precisam de mais que uma ou duas sessões para se curarem. 20% acabam precisando reaplicar a toxina a cada seis meses, mas também se livram do suor." explica Marcelo, otimista.

Nas mãos e nos pés, a aplicação da toxina botulínica pode ser dolorosa demais. Para estes casos, o dermatologista recomenda a cirurgia que corta o nervo responsável por transmitir às glândulas a ordem para suar. De fato, isso inibe completamente a produção de suor na região, mas há o risco de compensação em outras áreas do corpo, como nas costas.

Uma intervenção como esta é bastante séria, mas não é a técnica mais agressiva: em algumas clínicas, é possível fazer a raspagem das glândulas sudoríparas, retirando-as por inteiro.

veja também