Cores e Assimetrias marcam presença na Semana de moda de Paris

Cores e Assimetrias marcam presença na Semana de moda de Paris

Atualizado: Quarta-feira, 28 Setembro de 2011 as 9:28

A Paris Prêt à Porter começou nesta terça-feira (27), meio devagar, porque é preciso esperar que a imprensa americana chegue da Itália. Neste primeiro dia calorento, de 27°, deu para sentir que há uma variedade de propostas, mas todas em torno de alguns pontos fortes: cores claras, tecidos transparentes sobre opacos, com efeito tom-sobre-tom, assimetrias de alças, finas de um lado, drapeadas e mais largas do outro. Nos comprimentos, um vale-tudo de saias quase nos tornozelos ou curtas. Poucos shorts, calças só como complemento.

Moon Young Hee é daquelas estilistas persistentes, que insistem em conceitos pouco usáveis, que trazem um bom efeito na passarela e nas fotos. Mas desta vez, a coreana instalou umas faixas-fitas sobre bases brancas ou pretas, que só se justificam para confirmar a onda geométrica das tendências.

São vestidos pretos de decote em V, paletós de ombros pregueados, camisaria repolhuda de jabôs intermináveis, tudo bem abaixo dos joelhos, usados com sapatos oxford brancos ou de verniz preto. Cabelos em coque desmanchado, make quase nada. Ainda aposta nas moulages de blusas com golas tortas, parece que deu um vento de banda.

Já a Aganovich prefere o mesmo truque de transparências sobre fundos opacos - um vestido-avental, por exemplo, em tecido levinho branco sobre outro vestido, preto. O branco é mais longo, o que dá um visual de camadas diferentes. Tem uns piores, que acumulam mangas com pedaços vermelhos, em vestidos com estes jogos de pretos e brancos em comprimentos midis e curtos. As modelos saíam de uma espécie de caixa preta.

Fora da lista oficial, o português Luis Buchinho foi o melhor do dia. Pelo menos, nas estampas de traços em preto e branco, nas saias com fechos na frente, mesmo nos tecidos finos. O amarelo marca presença em blusão e tops sedosos, o rosa-salmão deu certo na minissaia de cauda. O melhor: o macramê e o crochê, em lurex cobre ou também no amarelo.

Com sandálias anabela de tirinhas subindo pelas pernas - ai, que não nos livramos das gladiadoras - e cabelos longos ondulados a partir da nuca.

Tem uma conclusão ainda meio inacabada deste primeiro dia de salas apenas cheias (quer dizer, não lotadas, com gente na ponta dos pés para conseguir ver alguma coisa do desfile): em alguns casos, o styling piora a roupa. Vemos o desfile, saímos da sala com uma impressão ruim, de que as meninas ficaram feias. Depois, vendo as fotos, notamos que há modelos que podem marcar boas mudanças na maneira das mulheres se vestirem e se sentirem bonitas.

veja também