Cravos que não acabam mais

Cravos que não acabam mais

Atualizado: Terça-feira, 21 Agosto de 2012 as 12:58

Em certas fases da vida, especialmente durante a adolescência e menopausa, os implacáveis comedões, mais conhecidos como cravos, costumam surgir de forma inesperada na pele como consequência das alterações hormonais, que aumentam a produção das glândulas sebáceas - responsáveis pela oleosidade - e obstruem os poros do rosto.

Presentes principalmente na zona T do rosto (testa, nariz e queixo), os cravos brancos (formados pela obstrução da glândula sebácea) e pretos (causados pela oxidação por estarem em contato direto com o meio externo), além de comprometerem qualquer visual, podem ser ainda mais prejudiciais à cútis se forem removidos de forma incorreta. 

Por isso, antes de cutucar cada cravinho, alguns cuidados simples, porém fundamentais, devem ser tomados. “O segredo para retirar os cravos sem se machucar e provocar manchas está na preparação da pele. Assim, evita-se a proliferação de bactérias, além de facilitar e suavizar a saída dos comedões”, explica Elizabeth Ganzarolli, professora de estética e esteticista facial e corporal da Nahan - Estética & SPA Urbano, de São Paulo.

veja também